Helicópteros de SP e do Exército ampliam combate às queimadas

Aeronave do DF já presta auxílio na região de Miranda.

Deslocamento em helicóptero é de cinco minutos - - Foto: Saul Schramm/Subcom-MS

Dois helicópteros, um da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) e outro do Comando Militar do Oeste (CMO), já entraram em operação para ajudar o Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul no combate às queimadas na região do Pantanal. O apoio aéreo foi solicitado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ao chefe do Executivo paulista, João Doria (PSDB) e ao comandante do CMO, general Lourival Carvalho.

Dez bombeiros que vieram do Distrito Federal para dar apoio às equipes sul-mato-grossenses foram levados pelo helicóptero Pantera, do Exército, ao local de alguns focos em cerca de cinco minutos, partindo de um aeroporto no Refúgio Ecológico Caiman, em Miranda, no noroeste do estado. Já a aeronave da PMESP pousou em Aquidauana, oeste do estado, mas deve combater os incêndios que atingem a fazenda Bodoquena, em Miranda.

As prioridades são as fazendas Caiman e Bodoquena (BR-262, em Miranda), o Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro e a região de Corumbá. Os focos na fazenda São Roque, em Aquidauana, foram extintos pela equipe do DF, porém as chamas se espalharam para a borda do Parque Estadual do Rio Negro e começa a ser combatido com o deslocamento dos brigadistas de helicóptero.

Um avião do Corpo de Bombeiros do DF já ajuda no combate às chamas, que mesmo com as dificuldades para chegar aos focos, lançou água sobre as chamas que atingem a fazenda Caiman. A base operacional de Aquidauana realizou um planejamento de médio e longo prazos e as estratégias foram montadas a partir do surgimento de focos, possibilitando o remanejamento da tropa dentro de uma área triangular, com distâncias curtas, integrando várias regiões do Pantanal.