Com Gerson na vice-presidência; PP quer formar chapa competitiva para disputar cadeiras na Câmara

A partir de março o partido ganha o reforço na Câmara dos vereadores Edno Ribas e Otacir Figueiredo.

Deputado estadual Gerson Claro (PP) em entrevista ao RN - Foto: Vanderi Tomé/Região News

O Partido Progressista, que em Sidrolândia tem o deputado estadual Gerson Claro como maior liderança, começa conversações com objetivo formar uma chapa forte para eleger pelo menos quatro vereadores. A partir de março o partido ganha o reforço na Câmara dos vereadores Edno Ribas e Otacir Figueiredo (o Gringo).

O deputado Gerson Claro foi eleito vice-presidente do diretório regional, comandado pelo deputado Evander Vendramini, que sucedeu ao ex-prefeito Alcides Bernal. O vereador Kennedi Forgiarini, que é um histórico da legenda, eleito secretário-geral vai atuar na organização do partido em todo o Estado.

Estão em andamento conversações para atrair dois suplentes de vereador. Juscelino Pereira, do PROS que ficou na 1ª suplência, perdendo a vaga para a Gringo, por três votos. Outra liderança é Ricardo Alves da Silva, o Corneta, que em 2016 foi candidato a vereador pelo PSD, garantiu 228 votos, ficou como primeiro suplente da coligação que elegeu Kennedi (com 286 votos). Celso Pereira, com 250 votos e Itamar de Souza Silva com 372.

O suplente Juscelino Pereira em princípio não mostra interesse em trocar o PROS pelo PP. Parece atraído pela possibilidade de se filiar ao Podemos, que já tem em seus quadros o ex-vereador José Rodrigues, o Zé Kojak. A legenda (que pode ser o destino da deputada federal Rose Modesto), já tem pelo menos oito pré-candidatos a vereador. A meta é formar uma chapa com 20 nomes que tenham densidade para eleger pelo menos dois vereadores.