Alfa define área para instalar UPL e deve formalizar compra

A UPLD, quando estiver funcionando na sua plenitude, vai produzir 10 mil leitões para abastecer as futuras granjas.

Romeo Bet, presidente da Cooperalfa em entrevista ao RN. - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Em reunião na última sexta-feira a Cooperalfa aprovou a aquisição de uma área de 200 hectares às margens da MS-162, saída para Maracaju, onde planeja instalar a UPLD (Unidade de Produção de Leitões desmamados). Segundo informações da assessoria da cooperativa, a aquisição ainda não foi formalizada porque a área escolhida, que fica a pouco mais de um quilômetro da rodovia, está num processo de inventário. 

A UPLD, quando estiver funcionando na sua plenitude, vai produzir 10 mil matrizes para abastecer as futuras granjas para criação e engorda de suínos que serão abatidos no Frigorífico da Aurora em São Gabriel D’Oeste.

A escolha da área foi precedida de um processo criterioso de avaliação que abrangeu 29 propriedades. Inicialmente foram rejeitadas 11, ficaram 18, destas restaram 9 e finalmente, a área na saída de Maracaju foi escolhida, sendo descartadas as duas áreas remanescentes, antes na região do Quebra Coco. Além da questão da logística (proximidades de uma rodovia asfaltada) foi fundamental o potencial hídrico da propriedade, com capacidade para produzir pelo menos 60 mil litros de água por hora. Foto: O Presente Rural.

Ainda, conforme informou a assessoria, a Cooperativa Alfa resolveu bancar o custo da aquisição, renunciando em princípio, ao termo de compromisso firmado com a Prefeitura, pelo qual o município arcaria com o custo de compra da área. A compra e cessão da área foi uma das contrapartidas exigidas para que a cidade fosse escolhida para receber um projeto de expansão da suinocultura em Mato Grosso do Sul que prevê investimento de R$ 200 milhões ao longo de 10 anos.

A Prefeitura não teria de imediato, recursos para custear a compra, estimada em R$ 4 milhões. A engenharia financeira montada pelo município, previa que neste ano seriam disponibilizados R$ 500 mil. O município esperava levantar mais R$ 1 milhão com a venda de 5 hectares na saída para Maracaju, ao lado da COAMO, retomadas de uma empresa que não levou adiante o projeto de um empreendimento.

O Governo do Estado teria se comprometido a dar uma contrapartida de R$ 1 milhão, totalizando R$ 3 milhões, a parcela complementar de R$ 1 milhão, seria a contribuição do futuro vendedor, que em contrapartida receberia parte dos dejetos gerados pelos suínos (suficientes para fertilizar 2.800 hectares num raio de 3 km da UPLD).

As obras da Unidade devem começar em 2020, sendo que neste ano, será reservado à compra da área e licenciamento ambiental.