Carlos Henrique acredita na inocência de PMS presos e vai entregar a eles moção de bravura

Presidente da Câmara Carlos Henrique, fez uma defesa veemente dos cinco policiais militares presos desde a semana passada.

Presidente da Câmara de Sidrolândia, Carlos Henrique - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Em pronunciamento na sessão de ontem (terça-feira), o presidente da Câmara de Sidrolândia, Carlos Henrique, fez uma defesa veemente dos cinco policiais militares presos desde a semana passada, acusados de terem se apropriado de mercadorias contrabandeadas apreendidas em operações de rotina na cidade.

Convencido da inocência dos policiais, que atuavam também no combate às drogas, o vereador diz que pretende realizar em novembro, a sessão solene de entrega da moção de bravura à guarnição, homenagem aprovada em março, por iniciativa do vereador Geosafá da Silva. Os policiais, receberam a moção em reconhecimento ao resgaste de uma adolescente mantida em cativeiro por 4 integrantes do “tribunal” do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Para Carlos Henrique, a guarnição foi vítima de denúncias anônimas, provavelmente difundidas pelo crime organizado.

“Recebi com tristeza a informação que uma guarnição inteira da Polícia Militar havia sido presa por envolvimento em ato de desvio de conduta e ato diverso de corrupção. Me causou estranheza que a equipe policial mais atuante e combativa que essa cidade teve a sorte de poder contar, havia sido toda presa e encaminhada ao presidio militar em Campo Grande. Outro fator que ainda não consegui entender, é como uma denúncia anônima leviana e irresponsável, consegue botar atrás das grades uma equipe policial que já fez mais de R$ 5 milhões em apreensões de produtos frutos de contrabando e descaminho. Confio mais acima de tudo, acredito cabalmente na inocência dos policiais e brevemente a justiça vai acabar com esse triste e lamentável episódio”.

“Estamos todos acompanhando de perto, os desdobramentos desse triste e lamentável episódio e confiamos totalmente na justiça que irá brevemente dar um fim a todo esse embaraço que temporariamente tirou das ruas de nossa cidade, essa equipe de policiais que era intransigente no combate ao crime. Esperamos que isso se resolva o mais rápido possível por que os policiais foram tirados das ruas e o Governo Estadual não repôs o contingente em Sidrolândia”, sustenta.