Daltro diz que apoio do MDB vale até o fim da gestão, mas não o impede de ser pré-candidato

Ex-prefeito, se isentou de qualquer influência sobre o posicionamento de oposição a gestão do prefeito.

Ex-prefeito Daltro Fiuza se isentou de qualquer influência sobre o posicionamento de oposição a gestão do prefeito Marcelo Ascoli - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Em nota publicada na sua página do Facebook, o ex-prefeito de Sidrolândia, Daltro Fiuza, se isentou de qualquer influência sobre o posicionamento de oposição a gestão do prefeito Marcelo Ascoli que o vereador do seu partido, Geosafá da Silva, tem assumido na Câmara. “Quero deixar claro que as posições tomadas por ele, não sei se pessoais ou políticas, nunca tiveram orientação minha ou do partido”, comenta.

Daltro diz que o fato de ter se lançado pré-candidato a prefeito na convenção partidária realizada no domingo passado, não pode servir de pretexto para o prefeito romper com os compromissos que assumiu com o MDB em 2016, quando teve o apoio do partido na eleição. Depois da convenção do final de semana, o prefeito chamou os secretários Nilo Cervo (de Infraestrutura) e Elaine Brito (Desenvolvimento Econômico), exigiu que deixassem o MDB, antecipadamente se comprometesse com o projeto de sua reeleição, do contrário teriam de deixar os cargos.

Os secretários se mantiveram no MDB e um deles, Nilo Cervo, fez questão de prestigiar na terça-feira a solenidade em que o ex-prefeito recebeu na Assembleia Legislativa o título de cidadão sul-mato-grossense.

Na nota o ex-prefeito lembra que a aliança do MDB com o PSL, partido do prefeito, não tiveram sua participação, mas ele reconhece: vale até o término da atual gestão, em 31 de dezembro de 2020, mas não impede o MDB de articular um projeto de candidatura própria para a próxima eleição.

Confira a íntegra da nota do ex-prefeito.

Meu posicionamento: Eu tomei na oportunidade da minha recondução como presidente do partido e entrevistado que fui, manifestei-me diante da maioria dos companheiros principalmente do MDB, para que no próximo ano pleiteasse novamente a Prefeitura, como não é ainda período de tais decisões, manifestei-me como pré-candidato pelo meu partido MDB.

Sei que o Partido assumiu compromissos para eleição passada e atual administração, assim como o candidato a prefeito à época assumiu também compromisso com o partido, que não sei quais são por não ter participado das negociações que envolveram a coligação. Entendo que coligação ou aliança que seja, estão sendo válidos para Eleição passada e está Administração.

Não comprometendo desde agora negociações políticas a respeito de próximas eleições. Por outro lado, quero deixar claro que como fiquei fora da campanha passada em momento nenhum interferi ou procurei influenciar quem quer que seja do meu Partido a se posicionar contra a atual administração.

No caso levantado pelo atual prefeito a respeito do vereador Fá, quero deixar bem claro que as posições que ele tomou até agora, não sei se politicas ou pessoais, nunca tiveram recomendação minha ou do partido.

Em tempo: Assim como estou escutando pela mídia ou pessoalmente que tem tantos pré-candidatos em Sidrolândia, será que eu não posso ser um?