Após 'semana conturbada', Jamilson diz que é hora de retomar mandato

Deputado ainda reforçou que familiares estão "sofrendo muito" após deflagração da Operação Omertà.

Jamilson não apareceu na Assembleia durante a semana seguinte às prisões da Omertà - Foto: Luciana Nassar/ALMS

O deputado estadual Jamilson Name (PDT) voltou à Assembleia Legislativa pela primeira vez desde a deflagração da Operação Omertà, que prendeu seu pai e o irmão, Jamil Name e Jamil Name Filho, no dia 27 de setembro. Na sessão desta terça-feira (8), o parlamentar disse que a semana passada foi “conturbada”, mas “é hora de retomar o mandato”.

Jamilson Name reforçou o que havia dito em nota, divulgada três dias após as prisões. O deputado voltou a destacar preocupação com a saúde do pai, “um homem idoso, de 80 anos, que nunca respondeu um crime e nunca foi indiciado a nada”.

“Estou cuidando da minha família, da minha mãe e dos meus sobrinhos, que estão sofrendo muito”, continuou.

Questionado sobre novidades no desenrolar da Operação Omertà, o deputado falou que os advogados estão cuidando do assunto. “Nós confiamos na Justiça. Colocamos tudo nas mãos dos advogados”.

O parlamentar foi até a casa no condomínio Bela Vista, Jardim São Bento, quando policiais cumpriram mandados de prisão, busca e apreensão contra seu pai e irmão.

A Operação Omertà apreendeu aproximadamente R$ 160 mil e prendeu 19 pessoas em Mato Grosso do Sul, na última sexta-feira de setembro.

Jamil Name e Jamil Name Filho são os principais alvos das ações e apontados pelas investigações como chefes de milícia responsável por série de assassinatos.