Cooperativa espera Bolsonaro para inaugurar indústrias de R$ 750 milhões

Presidente da Coamo disse que planta industrial será inaugurada entre 21 e 27 de novembro e depende da agenda de Bolsonaro

Indústrias de processamento de soja e refinaria de óleo da Coamo, construídas em Dourados - Foto: Divulgação

A cooperativa paranaense Coamo espera a presença do presidente Jair Bolsonaro na inauguração das indústrias de processamento de soja e de refino de óleo de soja, em fase final de construção em Dourados. A planta industrial está sendo instalada na margem da BR-163, na saída para Caarapó.

Em visita hoje (10) à prefeita Délia Razuk (PTB), o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, disse que a inauguração vai ser entre os dias 21 e 27 de novembro deste ano e a data exata depende da agenda do presidente da República. Gallassini afirmou que a decisão do Palácio do Planalto de sair na semana que vem.

A Coamo investe R$ 750 milhões na construção das duas indústrias vai gerar 300 empregos diretos. A obra foi lançada em dezembro de 2016, mas a construção só começou em agosto do ano seguinte.

Gallassini disse hoje que a indústria vai processar 15 milhões de sacas de soja por ano. A capacidade de processamento da indústria de esmagamento é de três mil toneladas de soja por dia, enquanto a produção de óleo é de 720 toneladas/dia.

O sistema de armazenamento de grãos tem capacidade para absorver 81 carretas bitrem por hora. A planta inclui posto de combustível para abastecer exclusivamente os veículos próprios e subestação de energia elétrica instalada em ambiente fechado.

Fundada em 1970 por agricultores paranaenses, a Coamo conta com 118 unidades em 68 municípios do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Recebe a produção agrícola de quase 30 mil associados. Em Mato Grosso do Sul, possui 13 entrepostos para compra e armazenamento de grãos.

Durante a reunião desta quinta, a prefeitura apresentou projeto que está sendo elaborado para construção de estrada 6,59 km ligando o Distrito Industrial até a BR 163, perto da indústria em fase final de implantação.

A rodovia fará parte do anel viário sul, com 39,75 km, também em fase de projeto. Segundo a prefeitura, só a seção sul, de 6,59 km, foi orçada R$ 3,9 milhões.