Basta de corrupção! por Wilson Aquino

O Senhor deixa muito claro nas Escrituras Sagradas sobre como educar e orientar os filhos.

- Foto: Divulgação

Nunca antes na história do Brasil a desonestidade foi praticada de maneira tão drástica, volumosa, maciça e abrangente como nesses últimos anos. E o mais grave: envolvendo pessoas de todos os níveis, inclusive autoridades que ocupam ou ocuparam até os mais elevados cargos públicos no executivo, no legislativo e no judiciário.

O país ainda assiste estarrecido o avanço das investigações que comprovam o envolvimento de deputados, senadores, juízes, ministros da mais alta corte da justiça e até presidentes da República, com as mais abomináveis ações, conchavos e conluios de corrupção, para ganhar vantagens pessoais e/ou para determinados e seletos grupos políticos e de amigos.

Apesar das insistentes investidas de toda ordem, por parte inclusive de autoridades constituídas nos três poderes, de tentar barrar o avanço dessas investigações, elas continuam e tornaram público o fato de que foram bilhões e bilhões de reais roubados do povo brasileiro, esse mesmo povo que morre nas filas dos hospitais e unidades de saúde em todo o país, por falta de um medicamento, de atendimento médico ou da falta de uma segurança pública e infraestrutura adequados.

Partindo do princípio de que onde quer que se investigue, comprova-se o desvio de dinheiro público, pode-se afirmar, portanto, que o volume de recursos públicos desviados nas esferas municipais, estaduais e federal, caso todos fossem devidamente investigados, seriam gigantescos os rombos nos cofres públicos. Imensurável realmente.

Lamentavelmente inexistem linhas de investigações dinâmicas e austeras, por parte inclusive de órgãos que deveriam fazer naturalmente esse serviço junto aos estados, municípios e união. Lamentável!

Todo esse quadro de bandidagem envolvendo homens públicos é um péssimo exemplo para nossas crianças, jovens e adolescentes que estão em formação e que serão cidadãos e as autoridades do amanhã.

Mais que nunca, hoje, os pais precisam trabalhar com muito esforço e cuidado em cima desse tema com seus filhos, que precisam entender e aprender desde cedo que subtrair coisas alheias é pecado perante Deus e também perante a justiça dos homens.

Deus, na sua infinita bondade e sabedoria nos adverte, por intermédio das Escrituras Sagradas, sobre a tentação de fazermos as coisas erradas: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca". Ele deixa claro que todos são passíveis de cometer erros e crimes como esses que foram e estão sendo cometidos em todo o país.  

Cabe aos pais vigiar as ações dos filhos em atos simples do cotidiano, como por exemplo, evitando que seus filhos subtraiam pertences alheios, como um simples lápis, borracha ou qualquer outro material, no retorno da escola.

Esse procedimento é importante visto que são de pequenos "delitos" que, juntados com uma má educação, ou seja, a não orientação do que é certo e o que é errado, e suas consequências, que o indivíduo acaba seguindo novos e perversos caminhos  na vida e que o tornarão um cidadão desonesto no trato das coisas com as pessoas.

O Senhor deixa muito claro nas Escrituras Sagradas sobre como educar e orientar os filhos. Em Provérbios (22:6), Ele é enfático: "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele".

Educar e orientar os filhos para que recebam bons princípios morais e espirituais, é portanto o dever de todo pai e de toda mãe. Ao proceder dessa forma, no futuro, dificilmente eles terão a tristeza e a dor de visitar um filho na prisão por seus crimes cometidos.