Com representantes do Flamengo, São Paulo e Barcelona, estreia do Brasil sub-17 tem 50 olheiros

Fifa recebe mais de 1,3 mil requisições de ingressos de observadores de 100 clubes diferentes para todo o Mundial da categoria

- Foto: Sergio Moraes/Reuters

Minutos finais da goleada do Brasil por 4 a 1 sobre o Canadá na estreia do Mundial Sub-17. O repórter que escreve este texto aguarda o fim do jogo, de pé, em uma das escadas do Bezerrão. Rapidamente, uma funcionária da Fifa o aborda e diz que está atrapalhando a visão de um rapaz. O jornalista se afasta, o homem o agradece e segue atento ao jogo e às anotações em um pequeno bloco. Não era um torcedor. Era um olheiro do Stuttgart.

O observador em questão foi um dos 50 olheiros que requisitaram ingressos à Fifa para acompanhar a rodada dupla de estreia no Mundial Sub-17, no Bezerrão. O interesse maior foi no duelo entre Brasil e Canadá, mas alguns permaneceram para assistir ao jogo entre Angola e Nova Zelândia. Dois clubes brasileiros pediram bilhetes: São Paulo e Flamengo.

Além do Tricolor e do Rubro-Negro, segundo a Fifa, observadores de Inter de Milão, Milan, Arsenal, Manchester City, Manchester United, Barcelona, Bayern de Munique, e Bayer Leverkusen também fizeram requisições de bilhetes para assistir à estreia do Brasil.

Viram de perto as boas tabelas de Yan com Veron, os gols de Peglow, os lançamentos de Daniel Cabral e vários outros lances que chamaram atenção dos quase 11,5 mil torcedores presentes no Bezerrão. Para o jogo desta terça, contra a Nova Zelândia, são esperados 55 olheiros, de acordo com a Fifa.

Para toda a competição, a Fifa diz que foram pedidos mais de 1,3 mil ingressos de membros dos departamentos de scouts de mais de 100 clubes diferentes do mundo.

Os olheiros não são credenciados. Pedem à Fifa um ingresso para cada partida e podem acompanhar os jogos. Estão sempre à paisana. O representante do Stuttgart afirmou que não estava de olho em nenhum jogador especificamente. Fará um relatório após o fim da competição. Neste domingo, iria para Vitória ver os jogos da Holanda e, nesta segunda, da Argentina contra a Espanha.

Imprensa: Barça de olho em Veron, e Real mira Talles

Dentre os 50 olheiros na estreia do Brasil, estava Pep Boada, representante do Barcelona. O GloboEsporte.com o abordou. Ele inicialmente negou que era membro da equipe catalã, mas depois confirmou. Questionado sobre a opinião a respeito dos jogadores do time brasileiro, ele, gentilmente, limitou-se a dizer que não tinha permissão para conversar com jornalistas. 

 

Antes da partida, o jornal “Mundo Deportivo”, de Barcelona, publicou que Pep embarcou para o Brasil com três jogadores em mente: o meia equatoriano Johan Mina, do Emelec, o meia Jun Nishikawa, do Cerezo Osaka, e o atacante Gabriel Veron, do Palmeiras. O diário afirma que o principal objetivo da equipe catalã é o equatoriano. Já o diário "As", de Madri, publica o interesse do Real Madrid em Talles Magno, do Vasco.

O zagueiro e capitão do Brasil, Henri, admite que tem o sonho de ir para clubes mais expressivos do mundo. Mas disse que não se preocupa com isso no momento.

– Temos sonho de frequentar muitos clubes. Meu foco é no Palmeiras, que estou jogando hoje – declarou o jovem.

Dono da maior multa rescisória do elenco, Sandry adota o mesmo discurso. O Santos estipulou o valor de € 100 milhões, ou R$ 444 milhões na cotação atual, para quem quiser levá-lo. E o jovem diz não pensar na vitrine que o Mundial dá.

– Não (presença de olheiros afeta). Falo por mim. Minha cabeça está voltada no Mundial. A gente esquece isso, a gente só pensa em jogar futebol e dar alegria ao nosso torcedor – garante.

O Brasil segue no Distrito Federal e enfrenta, na próxima terça-feira, a Nova Zelândia, também no estádio Bezerrão. Depois, no dia 1º, encara Angola no estádio Olímpico, em Goiânia, para encerrar a primeira fase pelo Grupo A. A seleção brasileira tenta o tetracampeonato do Mundial Sub-17.