Marcos Braz revela acordo encaminhado entre Flamengo e Inter de Milão e pede resposta de Gabigol

Vice de futebol garante que acordo com italianos está equacionado e pressiona camisa 9 por definição.

Gabriel Fortaleza x Flamengo Castelão — - Foto: Cahê Mota/GloboEsporte.com

A permanência de Gabriel no Flamengo em 2020 depende do exclusivamente do atacante. Quem diz é o vice-presidente de futebol do Rubro-Negro, Marcos Braz. Após a goleada de 4 a 1 sobre o Corinthians, no Maracanã, pelo Brasileirão, o dirigente revelou que já fez proposta e tem acordo encaminhado com a Inter de Milão, da Itália.

- Ele tem que decidir a vida dele, se quer estar aqui em 2020. A situação está com ele. Com a Inter, está tudo muito bem encaminhado, equacionado. Agora, a decisão é dele. O Flamengo fez a proposta, está tudo equacionado. Agora, vamos ver se ele quer jogar em 2020 no Flamengo - disse o dirigente.

O vice de futebol afirmou que o clube já conversa com os empresários e a família do atacante, mas ainda espera para saber os planos para a próxima temporada. Braz pressionou por uma resposta.

- A gente conversa com empresários dele, família. Chega uma hora em que começa a dar uma "afunilada". E chegou a hora. Tem que ver se ele quer jogar ou não aqui em 2020 - continuou.

- Ele tem que falar se quer jogar ou não no Flamengo em 2020. O prazo, teoricamente, é o último dia de contrato dele. Mas, não vou ficar esperando até o último dia. Estamos em reta final de temporada. Ele é superimportante para o Flamengo. Até por essa importância, uma reposição tem que ser feita com calma e tranquilidade. A prioridade é o Gabriel, a gente quer o Gabriel. Mas, tem que ver o que ele quer - emendou.

 
 

O futuro do camisa 9 também foi assunto para o técnico Jorge Jesus. O treinador lembrou do desempenho ruim do atacante em terras europeias para fazer lobby pela permanência. O português disse que, no Brasil, o jogador tem um bom time e o clube que o valoriza.

- É uma referência, é um jogador de Seleção. No Benfica ninguém sabia se jogava ou não. Aqui, é um grande jogador. Porque tem um bom time que o valoriza e uma forma de treinar. Por isso, hoje, é completamente diferente. Esta notícia me deixa satisfeito pois é um paradigma daquilo que ele não era quando esteve na Europa - afirmou.