A partir de janeiro, com ICMS da gasolina a 30%, preço do litro vai se aproximar de R$ 5,00

A partir de janeiro o consumidor sidrolandense via pagar em torno de R$ 5,00 pelo litro da gasolina onde já é vendida a R$ 4,73

A partir de janeiro o consumidor sidrolandense via pagar em torno de R$ 5,00 pelo litro da gasolina - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Se confirmada a estimativa do sindicato que reúne os postos de combustíveis (o Sinpetro), que o aumento de 20% no ICMS vai elevar em R$ 0,22 o preço cobrado na bomba, a partir de janeiro o consumidor sidrolandense vai pagar em torno de R$ 5,00 pelo litro da gasolina onde já é vendida a R$ 4,73, a comum e R$ 4,81, a aditivada.

A proposta do Governo do Estado encaminhada a Assembleia, eleva de 25% para 30% o imposto incidente sobre a gasolina, enquanto o do álcool, cai de 25 para 20%. O governador Reinaldo Azambuja espera um incremento de R$ 120 milhões na arrecadação.

Conforme pesquisa da ANP (Agência Nacional do Petróleo), divulgada neste sábado (2), o preço médio do combustível no Estado é de R$ 4,14, o 3º menor do País, só atrás do Amapá (R$ 3,931) e Santa Catarina (R$ 4,003). O valor poderá chegar a R$ 4,36, ganhando cinco posições no ranking nacional e ficando na 8ª posição.

Caso se confirme o impacto de 5,3%, o menor valor pago pelo litro da gasolina passa dos atuais R$ 3,939 para R$ 4,159, de 3º para 13º mais barato no País. No interior do Estado, onde o produto custa R$ 4,759, a gasolina deve superar R$ 5. Na fronteira, os postos devem perder a pouca competitividade que resta para os estabelecimentos paraguaios.

O Sinpetro estima que haverá desconto de R$ 0,18 no preço do etanol com a redução na alíquota do ICMS de 25% para 20%. O preço médio do etanol pode cair de R$ 3,403 para R$ 3,22 no Estado, o que equivalerá a 73% do valor da gasolina. Em Sidrolândia o consumidor paga R$ 3,79, com imposto menor, o preço deve ficar em R$ 3,61, 72,54% do preço da gasolina.

Isso significa que o derivado da cana-de-açúcar vai continuar perdendo mercado para o combustível proveniente do petróleo em Mato Grosso do Sul.

Atualmente, o etanol custa ao consumidor final entre R$ 2,99 e R$ 3,789 no Estado. Só o menor valor, caso caia para R$ 2,81, o álcool terá vantagem em relação a gasolina. Embora o Estado seja grande produtor, o etanol hoje só representa 13% do combustível usado em Mato Grosso do Sul. Esta participação chegou a 27%.  

A alíquota do ICMS de 30% sobre a gasolina será a 3ª maior do País, de acordo com levantamento do Sinpetro. Só ficará atrás de Minas Gerais e Rio de Janeiro.