Prefeitura vai vistoriar qualidade de asfalto do Sol Nascente alvo de denúncia na Câmara

A pavimentação foi concluída, mas falta fazer o meio-fio e as bocas de lobo. A situação mais crítica é o da Rosendo Guardiano.

Vereador Kennedi Forgiarini esteve no Bairro onde o asfalto está - Foto: Divulgação

Diante das denúncias dos moradores pelas redes sociais e que foram endossadas pelo vereador Kennedi Forgiarini, na sessão de ontem à noite da Câmara de Sidrolândia, o secretário de Governo, Clayton Ortega, orientou ao Departamento de Planejamento da Prefeitura, que faça uma avaliação minuciosa, com acompanhamento da Controladoria Geral e emita um parecer técnico sobre a qualidade do asfalto feito pela empreiteira Marpav no Bairro Sol Nascente.

“A população pode ter certeza que se fato ficar constatado que houve alguma falha de execução, o serviço será refeito sem custo adicional aos cofres públicos", assegura o secretário. Do custo de R$ 600 mil da obra, a Prefeitura pagou aproximadamente R$ 168 mil.

A pavimentação foi concluída, mas falta fazer o meio-fio e as bocas de lobo. Sem drenagem, na semana passada, quando choveu mais de 100 milímetros na cidade, a enxurrada desceu pela superfície, invadindo algumas casas construídas abaixo do nível da rua. A situação mais crítica é o da Rua Rosendo Guardiano, onde a enxurrada entrou em casas como de dona Dayane Batista e o senhor Aparecido Souza Andrade, que construiu um meio fio com a altura padrão de 15 centímetros, na extensão da testada do terreno para se livrar de futuros alagamentos.

Desde a semana passada, logo após o temporal, alguns moradores postaram vídeos mostrando o alagamento das suas casas, além de fotos e mensagens sobre o suposto "esfarelamento” do pavimento. Em pronunciamento contundente, o vereador Kennedi alertou o prefeito Marcelo Ascoli para que cobre de seus auxiliares uma avaliação técnica, exijam providências da empreiteira, porque do contrário, "literalmente estará jogado no lixo R$ 600 mil de dinheiro público”, custo em que está orçada a obra no Sol Nascente e numa quadra da Rua Lauro Muller.  

Com base na experiência do serviço executado no Jardim das Paineiras, segundo o vereador, o TSD (Tratamento Superficial Duplo) deveria ter sido aplicado em três camadas. Kennedi garante que no Sol Nascente, a empreiteira misturou todo material que ficou aplicado em solo úmido. “Não se respeitou o tempo de cura necessário para dar aderência ao TSD. O recomendado é que fossem aguardadas 72 horas após a imprimação para se aplicar a camada de pedras e sobre ela o asfalto. O que era para ser feito em duas etapas, foi executado de uma única vez", garante.

Em contato com o engenheiro da empreiteira responsável pela empresa, ele negou que haja "asfalto esfarelando", no local apontado pelo vereador, proximidades do Parque Vacaria, será aberto um poço de drenagem. Os problemas de alagamento, segundo ele, que foram apontados, decorreram da falta de meio-fio e da abertura de bocas de lobo para captação e escoamento da enxurrada. O problema foi acentuado pela intensidade da chuva que caiu num curto período.