Calendário do 13º e de salários de fim de ano será divulgado em 2 de dezembro

Governo do Estado informará as datas das folhas de pagamento dia 2 de dezembro

Governador Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), de Mato Grosso do Sul - Foto: Divulgação

Há menos de dois meses do fim do ano os servidores públicos estaduais ainda aguardam uma definição quanto ao calendário de pagamentos. O governador Reinaldo Azambuja informou durante agenda pública nesta semana que a data dos pagamentos referentes as folhas de dezembro, 13º e janeiro serão divulgadas, “no dia 2 de dezembro divulgaremos o calendário”.

O secretário especial de governo, Carlos Alberto de Assis, disse ao site no ínicio da intenção de pagar a folha extra em uma só data. “O governador está empenhado em pagar de uma vez, só em dezembro”, garantiu.

Em outubro o governador já havia garantido que o 13º salário dos servidores públicos estaduais será pago em dezembro. O chefe do Executivo afirmou que a gestão fez um planejamento e que não dependerá de repasses da União.“Não tem nenhuma preocupação, quem tem planejamento não tem surpresa, não estamos esperando recurso federal, não estamos preocupados com o que está acontecendo. Lógico que a situação fiscal do Brasil impõe aos Estados responsabilidade e a responsabilidade é de todos, mas o governo tem seu planejamento para que em dezembro, não sabemos o dia, a gente possa, como foi feito em todos os anos, saldar com aquilo que é de direito do servidor público estadual”, declarou.

Em setembro, o Correio do Estado noticiou que o governo e a prefeitura de Campo Grande estavam se desdobrando para pagar o 13º salário. O titular da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel, disse que não se pode esperar vinda de recursos federais. “Nós não vamos esperar nada. Estamos planejando, as contas estão bastante apertadas, mas o governo está fazendo os ajustes necessários diariamente para que a gente consiga chegar ao fim do ano com equilíbrio fiscal, que é sempre o nosso objetivo. Às vezes, uma medida mais dura é necessária, sem perder a capacidade de investimentos e de entregar à população que é uma diretriz central do governador”, explicou na ocasião.