Capão Seco começa receber ainda neste mês redes de água e energia elétrica

A chegada das melhorias coincide com o término da pavimentação da MS-258, iniciada pelo Governo do Estado há 4 anos.

Na semana passada, técnicos da estatal estiveram na agrovila, acompanhados do vereador Edno Ribas e do secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural. - Foto: Divulgação

O núcleo urbano do Distrito de Capão Seco começa a receber ainda neste mês as redes de água e energia elétrica, infraestrutura que vai exigir um investimento de R$ 1,9 milhões das concessionárias, Energisa (R$ 1,2 milhão) e Sanesul (R$ 700 mil). A chegada das melhorias coincide com o término da pavimentação da MS-258, iniciada pelo Governo do Estado há 4 anos.

Na semana passada, técnicos da estatal estiveram na agrovila, acompanhados do vereador Edno Ribas e do secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, Ivan de Oliveira. A Prefeitura vai ceder a área onde será perfurado o poço artesiano, o quadro de bombas e a caixa d'água.

A Sanesul vai investir R$ 1,2 milhão na implantação de 7 quilômetros de rede; 550 ligações domiciliares, perfuração de um poço com vazão mínima de 15 mil litros de água por hora e um reservatório com capacidade para 50 mil litros.

A rede de água é uma demanda da comunidade que o vereador Edno Ribas encampou há mais de quatro anos. Atualmente o núcleo tem 191 casas construídas e ocupadas; 275 em construção e 136 lotes sem edificação. Conforme levantamento, foram perfurados 12 poços caseiros, cinco semi artesianos e 26 moradores disseram que emprestam água do vizinho.

A implantação da rede de energia elétrica se arrasta desde agosto do ano passado, quando a Justiça deu uma liminar dando um prazo de 90 dias para a Energisa rebaixar a rede de alta tensão.

Neste caso, o entrave do projeto, foi a demora da Agesul para definir a faixa de domínio da MS-258, que está com asfalto quase pronto até o Capão Seco, mas o projeto é estender a pavimentação até a BR-163. Com água e energia, a expectativa é que se acelere o processo de ocupação de todos os 606 lotes.

Também foi demorado o processo decisório da Prefeitura que só em junho encaminhou à Câmara o projeto que incorporou ao distrito da agrovila. Se esta alteração, a Sanesul não poderia implantar a rede de água, porque a área de concessão da empresa não abrange a zona rural. 

No mês passado, o presidente da Sanesul Walter Carneiro Filho, recebeu em audiência o vereador Edno Ribas, o líder da comunidade, Claudio Moreira, além dos deputados, Beto Pereira (federal) e Gerson Claro (estadual). Os deputados estiveram a frente para viabilizar a audiência.