Tribunal nega habeas corpus e mantém preso grupo que levava 104,5 kg de maconha

Eles receberiam R$ 15 mil pelo transporte da droga que compraram em Ponta Porã.

Os policiais encontraram no Gol de placa HRI-3186, os 104,5 quilos maconha. - Foto: Divulgação/PMR

Em decisão tomada na semana passada, o juiz Waldir Marques, atuando em substituição na 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, negou o pedido de habeas corpus e manteve presos Jonatas Rodrigues Geraldelli, Verberson Santos e Rodolfo de Souza, presos na última semana do mês de outubro, quando tentavam levar 104,5 quilos de maconha até Cuiabá, capital de Mato Grosso.

Jonatas, residente em Cuiabá, foi preso pela Polícia Militar Rodoviária Estadual na MS-162, trechos próximos dos antigos trilhos do ramal ferroviário. Ele dirigia Fiat Pálio de placa OMK-7351, de Aparecida de Goiás. Como não conhece a região acabou se perdendo dos outros integrantes.

Acabou confessando os policiais que receberia R$ 7 mil para atuar como batedor de Verbeson e Rodrigues. Eles acabaram presos quando chegavam a Campo Grande e foram abordados por uma guarnição da Polícia Militar. Os policiais encontraram no Gol de placa HRI-3186, os 104,5 quilos maconha. Eles receberiam R$ 15 mil pelo transporte da droga que compraram em Ponta Porã.