Polícia descobre túnel de 60 metros que levava a cofre do Banco do Brasil e ação acaba com 2 mortos e 7 presos em MS

De acordo com a polícia, quadrilha estava em um galpão próximo da Central do Banco do Brasil em Campo Grande, responsável por distribuir dinheiro para agências e caixas.

Túnel com cerca 60 metros é descoberto pela polícia em Campo Grande. — - Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um túnel com cerca de 60 metros que levava até o cofre do Banco do Brasil foi descoberto no final da noite deste sábado (21), na região do bairro Monte Castelo, em Campo Grande. De acordo com a polícia, durante a ação, com a chegada dos policiais ao local, dois criminosos foram mortos e mais sete foram presos.

Um vídeo mostra parte do túnel que os criminosos tentaram ter acesso ao cofre da Central do Banco do Brasil, local em que fica o dinheiro distribuído para as agências e caixas eletrônicos da cidade. Pela imagem é possível ver uma escada que dá acesso ao galpão onde a quadrilha se planejava para chegar até o cofre. No corredor subterrâneo, havia alguns ventiladores e já na parte interna do galpão, centenas de sacos estocam terra retirada das escavações.

Conforme a ocorrência, a quadrilha agia em um galpão próximo da central do banco. Segundo a polícia, o túnel já estava próximo de chegar ao cofre. A Polícia Civil investigava o grupo há cerca de seis meses.

A assessoria do Banco do Brasil em Mato Grosso do Sul informou ao G1 que irá se inteirar do caso para se posicionar.

Túnel já estava próximo a cofre da Central do Banco do Brasil em Campo Grande. — Foto: Polícia Civil/Divulgação

 

Segundos os delegados Fábio Peró e João Paulo Sartori do Grupo de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros (Garras), a quadrilha é especializada em assaltos a bancos em todo o país. Está prevista para esta segunda-feira (23) uma coletiva em que a polícia deverá apresentar os criminosos e mais detalhes sobre o túnel.

“Nós estamos estudando a forma de fazer isso, uma vez que por conta das chuvas que caem na cidade há risco de desabamento, explicou Peró.

Uma moradora próxima informou ao G1 que nunca viu movimentação suspeita no local e que na madrugada deste domingo (22) acordou com um forte barulho: “Havia muitos policiais aqui. Foi tudo muito rápido e nem dá para imaginar que existe um grande buraco aqui embaixo”.

Outro morador informou que nesta semana viu um homem suspeito saindo do local em uma caminhonete: "Ele bateu com força [o portão] e saiu rápido daqui", explicou.