Ministério privilegia Maracaju que terá mais R$ 1,4 milhão para hospital

Os dois hospitais tem o mesmo porte (em torno de 40 leitos), mas há uma discrepância gigantesca de repasses da contratualização.

Hospital Soriano Corrêa da Silva de Maracaju - Foto: Reprodução/Google Maps

Com dificuldade até para pagar o 13º dos seus funcionários, que só deve ser liberado no final da semana, o Hospital Elmiria Silvério Barbosa, só recebeu 8,33% do recurso adicional destinado ao Hospital Soriano Corrêa da Silva de Maracaju.

Os dois hospitais tem o mesmo porte (em torno de 40 leitos), mas há uma discrepância gigantesca de repasses da contratualização. Na sexta-feira o Ministério publicou portaria aumentando em R$ 5,1 milhões o teto financeiro de média e alta complexidade.

O hospital de São Gabriel D'Oeste, cidade com metade da população de Sidrolândia vai receber mais R$ 2 milhões. O de Bonito R$ 771.578,81, o de Maracaju terá R$ 1.495.279,97, um incremento mensal de R$ 124.523,41 valor muito próximo aos R$ 130 mil que o Ministério libera hoje para o hospital sidrolandense.

O Hospital Elmiria Silvério Barbosa terá um incremento de R$ 332.563,96, o que assegura um repasse extra de R$ 26,9 mil por mês, insuficiente, por exemplo para garantir o funcionamento da nova ala com mais de 500 metros quadrados de área construída, com dois centros cirúrgicos, estrutura de uma maternidade.

O hospital de Maracaju recebe por mês R$ 1,050 milhão, sendo R$ 700 mil da Prefeitura, R$ 200 mil do Ministério e R$ 150 mil do Governo. Já o de Sidrolândia, R$ 452 mil com R$ 75 mil do Estado; R$ 130 mil do Ministério e R$ 212 mil da Prefeitura.

O Hospital Elmiria Silvério Barbosa não tem fôlego financeiro para manter uma equipe permanente para fazer cesáreas de forma emergencial.