Além de abandono, vídeo mostra que criança foi estuprada com ajuda da mãe

Denúncia foi feita por vizinho, que recebeu vídeo do pai da menina, autor do estupro; 4 crianças viviam em situação deplorável

Delegada disse que crianças foram encontradas sozinhas, em casa imunda e revirada - (Foto: Henrique Kawaminami)

A Polícia Civil está em busca dos pais das quatro crianças resgatadas hoje de casa no Jardim Tijuca em Campo Grande e que viviam em situação deplorável. O caso foi denunciado por vizinho, que recebeu vídeo em que o pai estuprava a filha de 7 anos, enquanto a menina era imobilizada pela mãe.

O pai delas, identificado como Ezequiel da Silva Cruz, 32 anos, é foragido da Justiça de Corumbá por conta de condenação de um ano de prisão por violência doméstica, expedida em julho de 2019. Ele também já tem sentença anterior, de 2017, por estupro. A mãe, de 42 anos, está sendo procurada, mas ainda não há mandado de prisão contra ela.

Os três meninos, de 4, 12 e 13 anos e a menina de 7 anos, foram encontrados ontem à tarde, sozinhos, em casa, após denúncia.

Foi o próprio pai delas que enviou o vídeo para um vizinho mostrando o estupro. Chocado, o homem entrou em contato com a Polícia Civil e o Conselho Tutelar. A delegada Franciele Candotti Santana, da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) disse que as crianças viviam na casa de um cômodo. “Era uma situação bastante deplorável, elas estavam vivendo numa sujeira danada, sem condições, em total situação de abandono”, disse.

A conselheira tutelar comprou sorvete e, depois, na delegacia, elas ainda comeram lanche. “Elas comeram desesperadas”, relatou a delegada. Desde 2019, as crianças não frequentavam a escola e eram ameaçadas pelo pai a não contar a violência sofrida.

O celular do adolescente de 13 anos será periciado, já que algumas imagens ou vídeos foram apagados e a polícia quer saber o conteúdo deste material. 

As crianças foram ouvidas ontem na delegacia. A menina de 7 anos relatou que foi violentada mais de uma vez, a última, em dezembro de 2019. Os pais serão indiciados estupro, ameaça e abandono intelectual.