Destituição de conselheiro do Previlândia acentua crise entre prefeito e presidente da Câmara

O prefeito assinou decreto tirando do Conselho Curador do Previlândia, o servidor da Câmara, Antônio Freitas.

Presidente da Câmara Carlos Henrique e Prefeito Marcelo Ascoli - Foto: Marcos Tomé/Região News

Um ato que seria de rotina administrativa, foi o estopim de um episódio que esgarça ainda mais o relacionamento politico-institucional entre o prefeito de Sidrolândia, Marcelo Ascoli e o presidente da Câmara, Carlos Henrique que há muito tempo não é dos melhores.

O prefeito assinou decreto tirando do Conselho Curador do Previlândia, o servidor da Câmara, Antônio Freitas, indicado para a função em agosto do ano passado por Carlos Henrique. A vaga foi aberta porque a titular, com mandato até janeiro de 2021, Regina Rodrigues, se afastou, alegando problemas de saúde. A suplente, Eva Helena, se aposentou.

No início da semana, Regina Rodrigues, que é esposa do vereador Jonas Rodrigues, pediu que fosse reconduzida ao cargo para o qual foi nomeada no final de 2018 pelo ex-presidente da Câmara, Jean Nazareth. Na segunda-feira Carlos Henrique encaminhou ao prefeito mensagens no WhatsApp em tom agressivo, com trechos em que chama Ascoli de "mentiroso".

Desde o ano passado o prefeito e o presidente da Câmara estão com relações estremecidas. Carlos devolveu R$ 80 mil ao Executivo para atender duas entidades filantrópicas, mas o recurso não chegou a Associação Supera e uma associação da Aldeia Córrego do Meio, por conta disso, a Câmara recuou da decisão de destinar ao hospital R$ 200 mil do orçamento do Legislativo. Também foram devolvidos, R$ 30 mil para a APAE.

Na votação do orçamento, Carlos Henrique articulou a aprovação de emendas que engessaram a execução orçamentária, além de reduzir de 35 para 10% a margem de suplementação por decreto.