Partido de Bolsonaro tem 75% das assinaturas necessárias em MS

Deputados Luiz Ovando e Coronel David participaram de evento de filiação da legenda

Luiz Ovando, Coronel David e Rodolfo Nogueira participaram de evento do partido de Bolsonaro - - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Apoiadores do partido ainda em criação do presidente Jair Bolsonaro, o Aliança Pelo Brasil, participaram de evento na tarde deste sábado (1º), na Câmara Municipal de Campo Grande. A legenda já tem 75,6% das assinaturas necessárias para a instituição dela em Mato Grosso do Sul.

De acordo com o deputado federal Luiz Ovando, que coordena o recolhimento das assinaturas, dentro de uma semana a sigla, que deverá usar o número 38, já deverá ter o número almejado de apoiadores. Além dele, o evento da nova legenda contou com a participação do deputado estadual Coronel David e do ex-presidente regional do PSL no Estado, Rodolfo Nogueira.

“No Estado o Aliança Pelo Brasil está muito bem, nós já conseguimos cerca de 75,6% daquilo que nós temos que alcançar como meta, isso equivale a mais ou menos 4.900. Hoje nós vamos receber várias assinaturas, muitos apoiadores de várias cidades que vieram do interior para cá, então hoje é uma reunião de estímulo para as pessoas para que elas abracem cada vez mais a causa e chegue mais rapidamente a meta que é 0,5% dos votos válidos aqui e que ultrapasse bastante para que ajude outros estados que ainda não conseguiram”, avaliou o deputado. 

Para Coronel David o evento realizado neste sábado foi apenas uma amostra de um trabalho que já vem sendo feito há algum tempo. “Eu tenho fé que até o prazo estabelecido o partido já estará constituído e nós vamos fazer parte das eleições deste ano se Deus quiser”.

Durante sua recepção, David foi recebido pelos apoiadores do partido como o futuro candidato a prefeito, entretanto, as lideranças do Aliança preferiram cautela ao falar nas eleições municipais deste ano. “Eu acho que nesse momento nós temos que juntar forças para que o partido cumpra as exigências da Justiça Eleitoral e a gente poder, lá na frente, com o partido constituído, com o aval da Justiça Eleitoral, participar e aí certamente o presidente será ouvido, o diretório regional, mas com certeza será uma pessoa que vai representar bem esses princípios do partido”, argumentou o deputado estadual.

“Isso vai depender de como nós vamos sentir. Nós vamos habilitar o partido, habilitado nós vamos ter que partir para a situação de escolha da diretoria e em julho que é a convenção de escolha dos candidatos”, respondeu Ovando sobre uma possível candidatura a prefeitura. Entretanto o deputado completou que “se nós conseguirmos chegar em tempo hábil vai ter candidatura (para vereador) sim”.

A criação do Aliança Pelo Brasil ocorre após brigas internas entre o presidente da República Jair Bolsonaro e o presidente do PSL, Luciano Bivar. Após o rompimento dos dois e de vários episódios onde apoiadores de ambos os lados tentaram comandar a legenda, Bolsonaro anunciou sua retirada da agremiação e a criação de uma nova.

“Essa esperança que todo mundo estava de realmente construir do nada um partido com todas as doutrinas, com todas as ideologias e com tudo aquilo que a gente sempre acreditou. O PSL sempre foi um partido emprestado, uma legenda emprestada para a gente lançar o presidente e os candidatos, mas agora é hora do partido do presidente, um partido criado com todas as aspirações que a gente tinha. Um partido de direita, um partido conservador, um partido que visa a família brasileira e que combata a corrupção”, declarou Rodolfo Nogueira.

CONVITE

O ex-presidente foi inclusive convidado recentemente para assumir um cargo em Brasília (DF), dentro do governo federal. Nogueira não quis comentar que cargo seria e nem em qual secretaria, mas afirmou que está grato pela lembrança.

A filiação e coleta de assinatura de apoiadores do partido segue ativa e pode ser feita pelo site do partido https://www.aliancapelobrasil.com.br/.