Barbosinha anuncia que não será mais líder de Reinaldo na Assembleia Legislativa

Sem dar explicações, o parlamentar disse apenas que o novo líder será anunciado nos próximos dias.

Claro e Londres seriam cotados para assumir liderança, exercida por Barbosinha - Foto: (Luciana Nassar, ALMS)

O deputado estadual Barbosinha (DEM) afirmou nesta terça-feira (4) no retorno do recesso das atividades na Assembleia Legislativa que não será mais o líder do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na Casa. Sem dar explicações, o parlamentar disse apenas que o novo líder será anunciado nos próximos dias.

Nomeado pelo governador tucano, o então diretor-presidente foi preso durante investigações contra corrupção tocadas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) em 2017 durante a Operação Antivírus e pediu, ainda, a nulidade da investigação, alegando que ter foro privilegiado e que só poderia ser processado criminalmente pelo PGJ (Procurador-Geral de Justiça).

O deputado, enquanto diretor-presidente do órgão, foi investigado por corrupção ativa, passiva, fraude à licitação, lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa.

Líder do PSDB na Casa, Rinaldo Modesto afirmou que os tucanos devem ser reunir nos próximos dias para definir quem assumirá a liderança do governo. O próprio parlamentar, que atuou por quatro anos na função, descarta assumir novamente.

Neste caso, ficariam como opções os deputados Marçal Filho, Onevan de Matos e Felipe Orro.

 

Medidas impopulares

O próprio governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tentou justificar ao anunciar o pagamento de salários do 13º no ano passado, que o Estado estava ‘em dia’ com o pagamento dos servidores graças a ‘medidas impopulares’.

Uma delas foi a reforma da previdência, aprovada apenas 16 dias após protocolada e por 20 votos favoráveis e 2 contrários.