Marginal cobra R$ 40,00 de ‘resgate’ para devolver celular que havia roubado

Conforme relato do delegado ao juiz criminal, nos últimos 60 dias o autor praticou seis furtos e um roubo na cidade.

Fernando Gregório Bento, o Tucão, se tornou a réu e vai responder a processo por furto 157 - Foto: Divulgação/PM

O delegado Diego Dantas pediu a prisão preventiva, o juiz Claudio Pareja acatou a denúncia do Ministério Público e Fernando Gregório Bento, o Tucão, se tornou a réu e vai responder a processo por furto 157. Ele tem mais de 15 passagens pela Polícia, a maioria por furto e a mais recente delas, foi no último dia 26 de janeiro, abordou com uma faca Paulo Alves Barbosa, quando a vítima chegava em casa no Jardim Alfa. Levou o celular de Paulo, avaliado em R$ 1.800,00 e só concordou devolver o aparelho no dia seguinte, depois de receber R$ 40,00 como “resgate” do telefone.

Conforme relato do delegado ao juiz criminal, nos últimos 60 dias o autor praticou seis furtos e um roubo na cidade. Preso preventivamente em julho do ano passado, ganhou liberdade quatro meses depois, quando voltou a cometer furto.

É tão reincidente ao ponto de se tornar conhecido das vítimas que já sabem até onde mora. Ele é vizinho de Paulo Alves Barbosa que o descreveu para a irmã, Patrícia Barbosa. Ela o identificou pelas redes sociais e foi casa na dele para negociar a devolução do celular que havia roubado.

Reincidência

No último dia 25 de janeiro, L.R.R, residente na Rua João Regasso no Jardim Alfa, surpreendeu dentro do seu carro (estacionamento em frente da casa), Fernando Gregório Bento, conhecido como "Tucão". A vítima, que está com vários pinos no braço em virtude de um acidente, entrou em luta corporal com Tucão que conseguiu escapar, levando um pen drive e R$ 100,00, mas acabou capturado momentos depois pela Polícia Militar.

Fernando responde a vários processos por tráfico de drogas, violação de domicilio e furtos. Em junho do ano passado ele foi preso, acusado de ter assaltado Geovane de França no último dia 29 maio, quando a vítima passava pela Rua Afonso Pena.

Levou R$ 700,00 que Geovane levava na carteira, a bicicleta e o celular. A bicicleta foi recuperada, mas o celular ele teria vendido por R$ 50,00. Tucão ficou preso até o dia 31 de outubro, após ser absolvido da acusação de assalto. O juiz Claudio Pareja alegou falta de provas, já que denuncia tomava como referência apenas o depoimento da vítima.

No dia do crime ele alegou que estava em Campo Grande, onde passou por atendimento no Hospital do Trauma. Como a Polícia não conferiu se o álibi apresentado era verdadeiro, ele se livrou da condenação.

No dia 15 de outubro de 2018, Tucão foi preso pela Polícia Militar em companhia de Enoque da Costa Soares, porque os dois estariam vendendo droga na esquina das Ruas Aquidauana com Minas Gerais. Diante da aproximação da viatura, Enoque fugiu de motocicleta e Fernando a pé. Ao ser perseguido pela PM tentou se livrar da droga, jogando fora diversas porções de maconha que levava no bolso do short.