PF colhe depoimento do deputado Loester Trutis e instaura inquérito para investigar o atentado

Por meio de nota emitida à imprensa, a PF disse que não vai mais se manifestar sobre o assunto.

Deputado federal Loester Carlos Gomes de Souza - Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) emitiu uma nota no final da manhã deste domingo em que afirma que colheu os depoimentos do deputado federal Loester Carlos Gomes de Souza (PSL-MS) e do motorista dele sobre o atentado que sofreram na BR-060, a caminho de Sidrolândia.

A PF informou ainda que instaurou inquérito para investigar as circunstâncias do ataque a tiros que o legislador comunicou ter sofrido por meio de rede social. "O parlamentar e seu motorista não foram atingidos pelos disparos”, diz o texto da PF, que, também por meio da assessoria de imprensa, divulgou que nada mais detalhará sobre o caso.

O caso

O deputado federal Loester Trutis publicou em suas redes sociais na manhã deste domingo que sofreu um atentado a tiros, quando se dirigia para Sidrolândia, onde participaria de encontros políticos.

Em suas redes sociais Trutis disse que revidou ao ataque e posteriormente pediu ajuda para o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), que o conduziram até a sede da PF em Campo Grande.

O parlamentar contou para os policiais que um carro emparelhou com seu veículo, onde ele estava com um assessor e atirou. Ele disse que não sabe quem são os autores do atentado.