Justiça decide após o Carnaval sobre preventiva de dupla que assaltou loja

O Ministério Público já se manifestou pela manutenção da prisão e preventiva, com base no relato das testemunhas.

Juiz criminal de Sidrolândia, Cláudio Muller Pareja - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Só na quarta-feira a partir do meio-dia, quando volta o expediente do Judiciário, o juiz criminal de Sidrolândia, Cláudio Muller Pareja, decide se converte em preventiva a prisão da dupla que na última quarta-feira, assaltou a Loja Gêmeos na Rua João Marcio Ferreira Terra. Edgar da Silva de Oliveira e Jhonatan Arguelho Siqueira, tiveram a prisão em flagrante homologada após a audiência de custódia realizada na quinta-feira passada.

O Ministério Público já se manifestou pela manutenção da prisão e preventiva, com base no relato das testemunhas e nos antecedentes de Jhonatan, que em setembro de 2018 foi condenado a 5 anos de prisão, em regime semiaberto, por tráfico de drogas.

Também responde a processo por envolvimento numa tentativa de fuga (junto com outros dois detentos) da Delegacia de Polícia em 16 de maio de 2018. Ele estava preso desde o dia 30 de abril por tráfico de drogas. Uma guarnição da Polícia Militar flagrou com ele 6 porções de maconha e encontrou na casa onde morava, na Rua Dr. Costa Marques, 1 quilo da droga. 

Três anos antes, dia 26 de setembro de 2015, quando tinha 16 anos, Jhoninha, como é conhecido, em companhia de Mailson Elmirio, invadiu o Espetinho Dois Irmãos, em Maracaju. Rendeu os clientes e junto com o comparsa, levou quatro celulares e R$ 35,00 em dinheiro. A Polícia não conseguiu comprovar a suspeita de sua participação no assalto a Império Pizzaria, ocorrido em janeiro.

Edgar até então não tinha antecedentes criminais. Ele mora em Anastácio, onde tem mulher e filhos. Estava em Sidrolândia há 15 dias e teria conhecido Jhoninha na Praça São Bento, onde fumaram maconha. Segundo relato a proprietária da casa onde Jhonatan estava morando no São Bento, na tarde do assalto à Loja Gêmeos, Edgar esteve na residência, quando se supõe a dupla tenha planejado o ato criminoso do início da noite daquela quarta-feira.

O assalto

Conforme relato das testemunhas, na quarta-feira, por volta da 18h02, Edgar e Jhonatan chegaram na loja Gêmeos na Rua João Márcio Ferreira Terra. Edgar chegou dirigindo o Fiat Uno que seria da esposa dele. Jhonatan, armado, rendeu quem estava na loja, enquanto o comparsa, anunciou o assalto e pegou o dinheiro que havia no caixa (R$ 420,00) e três celulares, um deles da cliente J.A, que em companhia dos filhos viera comprar um aparelho. 

A ação durou menos de um minuto e os dois suspeitos fugiram. Edgar, que tomou rumo de Maracaju no Uno, foi interceptado perto do Posto Global. Estava com um dos celulares e metade do dinheiro roubado. Acabou levando os policiais até a casa do comparsa, que em princípio negou participação. Com ele, a Polícia achou outro celular e R$ 220,00.