Brasil tem 182 casos suspeitos de coronavírus, diz Ministério da Saúde

De acordo com o levantamento, 71 casos foram descartados desde o início do monitoramento.

- Foto: Sérgio Lima/AFP

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (28) que o Brasil tem 182 casos suspeitos de coronavírus. Até o momento, somente um caso foi confirmado. De acordo com o levantamento, 71 casos foram descartados desde o início do monitoramento.

Mais cedo, em São Paulo, o governo do estado de São Paulo informou que os três familiares do homem infectado com coronavírus não estão mais sob suspeita de estarem contaminados. Os casos foram excluídos após exames laboratoriais. Esses familiares tiveram contato com o paciente contaminado no último domingo (23), em um almoço de família, após o homem retornar da Itália.

O morador de São Paulo, de 61 anos, infectado com coronavírus permanece em isolamento domiciliar e passa bem, informou a Secretaria Estadual de Saúde nesta manhã. O paciente retornou de Turim, no norte da Itália, na sexta-feira (21) e teve o diagnóstico confirmado na quarta-feira (26).

“O paciente está muito bem e sairá da quarentena assim que sair dos sintomas clínicos”, disse o médico infectologista David Uip.

Casos suspeitos no Brasil

O mais recente boletim mostrou a seguinte distribuição dos casos pelo Brasil: São Paulo (66), Rio Grande do Sul (27), Rio de Janeiro (19), Minas Gerais (17), Bahia (9), Santa Catarina (9), Ceará (6), Pernambuco (5), Paraná (5), Distrito Federal (5), Goiás (5), Rio Grande do Norte (3), Mato Grosso do Sul (2), Espírito Santo (2), Paraíba (1) e Alagoas (1).

O secretário nacional de vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que o Ministério vai atualizar sua classificação dos casos para incluir uma nova categoria, que será a dos casos "prováveis".

"Por exemplo, os contactantes com caso confirmado serão ajustados para 'casos prováveis'. Caso apresente características clínicas compatíveis com uma doença respiratória, como o coronavírus, nem precisará de teste. Será confirmado como caso clínico epidemiológico. Já estamos avisando, caso um contato próximo de um caso confirmado, se tornar caso suspeito, será confirmado como caso clínico epidemiológico", disse o secretário nacional de vigilância em Saúde.