Contribuição ao INSS muda a partir deste mês de março; saiba quanto você vai pagar

Mudança foi determinada pela reforma da Previdência, aprovada em 2019.

Decretada prisão de guarda que violou medida protetiva e matou ex-namorada - Foto: Divulgação

Determinada pela reforma da Previdência, aprovada no ano passado, a mudança no cálculo das contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam a valer neste domingo (1º), aplicada sobre os salários referentes a fevereiro. Quem ganha menos vai contribuir menos para o INSS, e quem ganha mais, vai contribuir mais.

Para os trabalhadores do setor privado (do Regime Geral), a mudança reduz a cobrança para quem ganha até um salário mínimo, e torna a alíquota progressiva para as demais faixas – ou seja, cada percentual se aplica apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa, o que faz com que o percentual de fato descontado do total dos ganhos (a alíquota efetiva) seja diferente.

Por exemplo: um trabalhador que ganha R$ 1.500 pagará 7,5% sobre R$ 1.045 (R$ 78,38), mais 9% sobre os R$ 455 que excedem esse valor (R$ 40,95). Ou seja, no total, ele pagará R$ 119,33, o que corresponde a 7,96% do seu salário.

Com a correção, as novas faixas de cálculo da contribuição paga mensalmente por cada trabalhador serão: 

  • 7,5% até um salário mínimo (R$ 1.045)
  • 9% para quem ganha entre R$ 1.045,01 R$ e 2.089,60
  • 12% para quem ganha entre R$ 2.089,61 e R$ 3.134,40
  • 14% para quem ganha entre R$ 3.134,41 e R$ 6.101,06

Para os trabalhadores do setor público, as alíquotas podem chegar a 22%.

A pedido do G1, Emerson Lemes, tesoureiro do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), calculou como fica a contribuição para pessoas com diversos salários. Quem ganha até 1 salário mínimo pagará R$ 5,23 a menos por mês. Já quem recebe acima de R$ 6.101,06 (teto de contribuição INSS) pagará R$ 41,98 a mais. Veja tabela abaixo:

Valores e alíquotas de contribuições para o INSS

Salário Até 29/02/2020   Após 01/03/2020   Diferença
  Contribuição Alíquota atual Contribuição Alíquota atual  
R$ 1.045 R$ 83,60 8% R$ 78,38 7,5% - R$ 5,23
R$ 1.500 R$ 120 8% R$ 119,33 7,96% - R$ 0,67
R$ 2.000 R$ 180 9% R$ 164,33 8,22% - R$ 15,68
R$ 2.500 R$ 225 9% R$ 221,64 8,87% - R$ 3,36
R$ 3.000 R$ 270 9% R$ 281,64 9,39% R$ 11,64
R$ 3.500 R$ 385 11% R$ 348,95 9,97% - R$ 36,05
R$ 4.000 R$ 440 11% R$ 418,95 10,48% - R$ 21,05
R$ 4.500 R$ 495 11% R$ 488,95 10,87% - R$ 6,05
R$ 5.000 R$ 550 11% R$ 558,95 11,18% R$ 8,95
R$ 5.500 R$ 605 11% R$ 628,95 11,44% R$ 23,95
R$ 6.000 R$ 660 11% R$ 698,95 11,65% R$ 38,95
R$ 7.000 R$ 671,12 11% R$ 713, 10 11,69% R$ 41,98
R$ 8.000 R$ 671,12 11% R$ 713,10 11,69% R$ 41,98
R$ 9.000 R$ 671,12 11% R$ 713,10 11,69% R$ 41,98
R$ 10.000 R$ 671,12 11% R$ 713,10 11,69% R$ 41,98