Thiago Wild é campeão em Santiago e supera Guga como mais novo brasileiro a vencer ATP

Confira as marcas e o jejum que ele quebrou com o feito

- Foto: Divulgação

O brasileiro Thiago Wild fez história na tarde deste domingo, dia 1º de março de 2020, ao conquistar o título do ATP 250 de Santigo, no Chile. O tenista de apenas 19 anos e número 182 do mundo derrotou na final o norueguês Casper Ruud (#38) por 2 sets a 1, parciais de 7/5, 4/6 e 6/3, em 2h16min de jogo. Com o resultado, Wild não só faturou o maior título da carreira como profissional, como quebrou uma série de marcas, que incluem um feito que era até então do ídolo Gustavo Kuerten. 

  • Mais jovem brasileiro a conquistar um torneio ATP. Guga foi campeão de Roland Garros aos 20 anos
  • Tenista mais jovem a vencer um torneio na temporada de saibro na América Latina desde o título de Rafael Nadal em Acapulco, em 2005
  • Número 182 do mundo na ocasião, é o campeão com classificação mais baixa de todos os tempos em torneios ATP realizados na América Latina
  • Brasileiro com pior ranking a vencer um torneio desde o surgimento dos eventos da ATP, em 1990
  • Desde 2017, um tenista com menos menos de 20 anos não vencia um torneio ATP
  • Desde 2015, quando Thomaz Bellucci venceu em Genebra, na Suíça, um brasileiro não conquistava um torneio ATP

Ao vencer o torneio, o brasileiro sai da 182º posição do ranking mundial para se tornar número 113 do mundo. Vale lembrar que esse é o melhor momento da carreira de Wild como profissional. Porém, durante a passagem pelo juvenil, o paranaense já tinha conquistado um Grand Slam: o US Open.

Encantou!

Mais do que vencer o torneio em Santiago e quebrar uma série de marcas, Thiago Wild mostrou personalidade na final. Jogou bonito. Além da bola pesada e do saque preciso, que já são suas marcas, o brasileiro protagonizou um ponto incrível. Depois de se defender com "gran willy" (quando o tenista defende de costas e com a raquete entre as pernas), ele ainda deu uma passada no norueguês.

O jogo

O primeiro set começou frenético. Nos primeiros três games, Wild e Ruud não conseguiram confirmar o saque. Do início ao fim, aliás, o jogo foi emocionante e equilibrado. Ruud teve a chance de abrir 4 a 2 na parcial e sacar para 5 a 2. Mas perdeu cinco chances de break-point e viu o brasileiro crescer de rendimento. Wild quebrou o rival na sequência e deixou tudo igual: 3 a 3. Na reta final do set, voltou a imprimir pressão no saque do adversário. Sacando em 5 a 6, o norueguês cedeu logo no primeiro set-point.

A segunda parcial foi mais constante, com os dois tenistas melhores postados no serviço. Só para ter uma ideia, em todo o segundo set teve apenas um único break-point. Quem cedeu foi o brasileiro e logo na reta final. Ruud sacou para o set no 5 a 4 e deixou tudo igual.

Se o brasileiro não manteve o nível na final do segundo set, ele voltou avassalador no terceiro. Wild confirmou o primeiro game e na sequência quebrou Ruud. Aliás, o saque do brasileiro, que entrou muito bem durante o jogo, foi ainda mais determinante na reta final. Ao todo, Wild fez 17 aces no jogo, sendo oito deles no terceiro set. Vitória por 6 a 3 e números finais à partida.