Justiça dá prazo de 30 dias para remoção de soja que apodreceu

A deterioração desta soja, que deve ser usada como adubo, representa um prejuízo de R$ 2,8 milhões.

A deterioração desta soja, que deve ser usada como adubo, representa um prejuízo de R$ 2,8 milhões. - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Por determinação da Justiça, a JS Sementes tem até o final do mês para retirar aproximadamente 40 mil sacas de soja, estocadas em silos bag há mais de 4 anos e que apodreceram, gerando mau cheiro (conforme a direção dos ventos).

A deterioração desta soja, que deve ser usada como adubo, representa um prejuízo de R$ 2,8 milhões para o proprietário, o produtor João Stefanello. A poluição, sentida principalmente por quem passa pela BR-060 na saída para Campo Grande, gerou uma ação do Ministério Público que resultou no ultimato para remoção do estoque.

Segundo informações levantadas pela reportagem, na unidade armazenadora estavam estocadas 70 mil sacas de soja, das quais, só 30 mil ainda estão em condições de comercialização.