Clientes e funcionários do Banco do Brasil em Sidrolândia reclamam da falta de proteção ao coronavírus

O Sindicato dos Bancários já solicitou providências à superintendência do banco para que medidas sejam adotadas.

Por causa da reforma que acontece no prédio, os atendimentos são feitos muito próximo um do outro. - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Funcionários e clientes da Agência do Banco do Brasil em Sidrolândia estão reclamando que a agência não estaria tomando nenhuma providência em relação ao coronavírus. Por causa da reforma que acontece no prédio, os atendimentos são feitos muito próximo um do outro e a agência fica superlotada durante boa parte do dia.

O Secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Bancários de Campo Grande MS e Região e funcionário do BB, Orlando de Almeida Filho, disse que o sindicato tem consciência das condições da agência do Banco do Brasil de Sidrolândia, que está em reforma e já solicitou providências à Superintendência do banco no estado.

Orlando disse ainda que o movimento sindical tem cobrado desde o dia 12 de março as direções dos bancos para que adotassem medidas que garantam a integridade dos trabalhadores, assim como dos clientes, depois que a Organização Mundial de Saúde (OMS), passou a considerar o coronavírus como pandemia no dia 11 de março.

Reunião

Na terça-feira, 17 de março, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), se reuniu com 236 entidades sindicais que representam os cerca de 450 mil bancários em todo o país, que resultou na criação da Comissão Bipartite Covid-19, um canal direto e permanente de troca de informações entre bancos e entidades que representam os bancários sobre as ações adotadas para combater o coronavírus nas agências bancárias, que são:

- milhares de bancários já estão trabalhando em esquema de home office;

- os bancos dividiram as equipes que ainda estão atuando presencialmente e definiram locais de trabalho diferenciado para cada grupo de forma a reduzir o número de profissionais concentrados ao mesmo tempo nos locais de trabalho;

- foram indicados canais para notificação de casos entre os funcionários dos bancos; e

- foram criados novos protocolos de limpeza das agências e as equipes encarregadas da tarefa foram orientadas a intensificar a higienização, especialmente dos locais com maior contato das pessoas, como maçanetas, balcões, botões de elevadores e superfície dos caixas eletrônicos.

Sobre a possibilidade de fechamento das agências ou redução do horário de atendimento, o setor segue procedimentos previstos na legislação bem como práticas internacionais, em que os bancos foram considerados atividades essenciais, como saúde e segurança, e não tiveram seu funcionamento interrompido.

A Febraban tem orientado o público a usar os meios remotos de atendimento, como mobile e internet banking, que oferecem a quase totalidade das transações financeiras do sistema bancário e dispensam a necessidade de comparecimento às agências.

Neste mesmo sentido o Sindicato dos Bancários reforça para que as pessoas se dirijam às agências somente em casos de extrema necessidade. “A população tem que ter empatia e compreensão neste momento e orientamos para que não vá até a agência bancária, a não ser em caso de extrema necessidade, principalmente os idosos”, falou Orlando.