Prefeitura elabora programa de compra da agricultura familiar e doa cestas ‘verdes’

Dentro da estratégia do isolamento social recomendado para quebrar a cadeia de transmissão do novo coronavírus as aulas e as feiras estão suspensas.

Prefeitura trabalha na elaboração de um programa que simultaneamente vai socorrer a agricultura familiar. - Foto: Reprodução

A Prefeitura de Sidrolândia trabalha na elaboração de um programa que simultaneamente vai socorrer a agricultura familiar, com a garantia da aquisição da produção hortigranjeiros comercializado nas feiras e a destinada à merenda escolar. Dentro da estratégia do isolamento social recomendado para quebrar a cadeia de transmissão do novo coronavírus as aulas e as feiras estão suspensas. 

A ideia é garantir uma cesta básica de frutas, legumes e verduras para distribuição semanal aos alunos de baixa renda, especialmente dos beneficiários do bolsa família e do vale-renda, além do benefício de prestação continuada (BCP).

Será necessária uma legislação municipal específica que dê respaldo legal às compras. Aproximadamente 70 agricultores comercializam sua produção nas duas feiras realizadas semanalmente na cidade e outros 80, esperavam faturar R$ 600 mil neste ano com as vendas para a merenda escolar.

O secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Ivan de Oliveira Santos, está em casa numa quarentena voluntária, para trabalhar na minuta do projeto que ainda nesta semana será encaminhado à Legislativa. Falta quantificar a quantidade, os recursos necessários e de onde virão os recursos.

No caso da merenda escolar, a Secretaria Municipal de Educação, planeja iniciar nesta semana a distribuição de cestas básicas para 15 famílias de 75 alunos residentes na zona rural, que tem na merenda, a melhor refeição do dia. Para facilitar a distribuição, as cestas serão entregues aos diretores das escolas, que terão a incumbência de levar os alimentos até essas pessoas.

As cestas serão feitas com o estoque disponível na cozinha industrial da Secretaria que seria usado na preparação da merenda. Na área urbana, a ideia é preparar as refeições normalmente e entregar marmitas nas casas de todas as crianças cujos pais recebem bolsa família.

Segundo o presidente da Cooperativa Agropecuária Mista da Agricultura Familiar, Benedito Francisco, a suspensão das feiras, das aulas e as restrições no comercio ambulante, trazem um cenário de prejuízo para os pequenos produtores que ficariam praticamente alternativas de comercialização. “Além do apoio da Prefeitura, vamos tentar criar formas de vendas por telefone, com entrega em casa, pedir o apoio dos supermercados da cidade”, destaca.