Ação da Cidadania entrega 40 toneladas de alimentos no Rio de Janeiro

Objetivo é combater a fome durante a pandemia do novo coronavírus

Parte de comércio de portas fechada no Rio de Janeiro - Foto: Divulgação

A organização não governamental Ação da Cidadania, fundada em 1993 pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, entregou hoje (9), em parceria com o Movimento Bem Maior, 40 toneladas de alimentos não perecíveis, material de higienização e 1.200 máscaras, para representantes de 40 entidades cadastradas pela ONG no estado do Rio de Janeiro. O objetivo é combater a fome durante a pandemia do novo coronavírus. Cada entidade levou uma tonelada de alimentos para a região onde atenderá 100 famílias, o que significa que 4 mil famílias foram beneficiadas com a ação desta quinta-feira.

Incluindo o resto do país, onde foram distribuídas 80 toneladas de alimentos, a Ação da Cidadania entregou esta semana a famílias mais necessitadas um total de 120 toneladas de alimentos e produtos de higiene. “A gente está recebendo muitas doações, o que nos deixa muito felizes”, disse à Agência Brasil o diretor-executivo da ONG, Kiko Afonso. Segundo ele, os canais que mais têm recebido doações recorrentes para a ONG são AME Digital, iFood e Benfeitoria.

Até agora, a Ação da Cidadania atendeu, com a campanha nacional, 35 mil famílias, o que soma cerca de 180 mil pessoas. Segundo Kiko Afonso, os próximos passos são tentar aumentar a arrecadação. A ONG e o Movimento Bem Maior estão em negociação final com um grande parceiro, que dará maior capilaridade à campanha, estendendo a rede nacionalmente.“A meta da Ação da Cidadania é chegar a 100 mil famílias atendidas por mês. Para isso, a gente precisa arrecadar R$ 25 milhões, para atender essas famílias por três meses”, informou. Afonso revelou que a arrecadação com esse propósito está chegando, no momento, perto de R$ 4 milhões.

Filantropia

Kiko Afonso destacou a parceria com o Movimento Bem Maior, que estimula a filantropia na sociedade. “O movimento procura disseminar a cultura da filantropia pelo Brasil, por parte de grandes empresários, famílias que têm muito dinheiro e assim por diante. Esse grupo já faz mobilização há muito tempo e quando nós iniciamos essa campanha eles nos procuraram, com o objetivo de nos ajudar a construir essas pontes de arrecadação e captação”.

Algumas das captações feitas para o combate à fome durante a pandemia do novo coronavírus vieram através de contatos do Movimento Bem Maior. O diretor-executivo da Ação da Cidadania lembrou que a ONG trabalha em rede. “Não é ela que vai na ponta entregar a cesta; são as entidades cadastradas que a ONG fortalece, na visão que vem desde a época de Betinho, de tentar criar lideranças locais de estímulo à cidadania, aos direitos humanos. Para isso, em vez de fazer ações diretas nos locais, a organização procura que as entidades se fortaleçam localmente e possam, assim, conseguir mais captações nas áreas onde se acham localizadas”.

Afonso diz acreditar que quanto maior for o número de parceiros, melhor, para poder atender a milhões de brasileiros que estão entrando em situação de insegurança alimentar, devido à crise do novo coronavírus. O objetivo da Ação da Cidadania é “aparecer o menos possível e fazer o máximo possível”, afirmou.

A presidente do Movimento Bem Maior, Carla Matarazzo, destacou que “a expectativa é auxiliar nas demandas sociais emergenciais e, concomitantemente, atuar na prevenção, distribuindo informações de cuidados básicos para controlar a disseminação do vírus. Dessa forma, as famílias podem ter um pouco mais de tranquilidade em suas casas e se protegerem”, disse Carla.