Com isolamento social em queda, Mato Grosso do Sul registra mais um óbito e vê casos de Covid-19 aumentarem

Enquanto a taxa média de isolamento social no Brasil foi de 46,1% nesta quarta-feira (15.4), a adesão do sul-mato-grossense foi de apenas 39%.

Pessoas aglomeradas na rua. - Foto: Divulgação

Campo Grande (MS) – Enquanto a taxa média de isolamento social no Brasil foi de 46,1% nesta quarta-feira (15.4), a adesão do sul-mato-grossense foi de apenas 39%. O monitoramento por geolocalização mostra que além do Estado continuar disputando o ranking de pior colocação com Tocantins, o número de pessoas que permanecem em casa tem reduzido cada vez mais, enquanto os confirmados e mortos pela Covid-19 aumentam.

Numa análise dos dados de isolamento referentes a última quinzena, essa foi a primeira vez que Mato Grosso do Sul ficou com índice abaixo dos 40%. O reflexo desse comportamento impacta diretamente nos números. No período de 14 de março a 16 de abril, o Estado viu os casos confirmados darem um salto de dois para 131, e cinco mortes já foram confirmadas em decorrência da Covid-19.

Com 68 casos confirmados e dois óbitos, Campo Grande só registrou isolamento social acima dos 50% nos dias uteis da semana de 23 a 27 de março. Após esse período, cada vez menos pessoas tem permanecido em casa, e o monitoramento apresenta percentuais cada vez menores de distanciamento social. Nesta semana os índices foram: 37% na segunda-feira, 42,6% na terça-feira, e 39,6% na quarta-feira.
Segunda cidade em maior número de casos, Três Lagoas tem 11 confirmados da doença e uma morte. A taxa média de isolamento social no município também tem ficado abaixo dos 50% nas últimas três semanas, exceto aos domingos. Essa semana o índice chegou a 35,6% na segunda, 44,6% na terça, e 34,7% na quarta-feira.  
Outro município com dois óbitos registrados pela Covid-19 é Batayporã. A cidade contabiliza seis casos confirmados, e baixa adesão ao isolamento social. Nas últimas duas semanas menos da metade da população tem cumprido o isolamento, e nos últimos dias o monitoramento tem mostrado taxa média de isolamento de 38% na segunda, 48,1% na terça, e 40,3% na quarta-feira.

Os dados acima, levam em conta boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES) atualizado até as 10h desta quinta-feira (16.4) e do monitoramento por geolocalização da In Loco que é atualizado com informações coletadas no dia anterior. 

Além do apelo das autoridades para as pessoas não saírem de casa sem necessidade, estudos científicos comprovam que o distanciamento social é a única maneira eficaz de frear o contágio pelo coronavírus. O percentual considerado ideal de isolamento social para frear a pandemia e evitar um colapso no sistema público de saúde é de 70% conforme o secretário de estado de saúde, Geraldo Resende.