Em videoconferência do G20, Teich diz que 'não tem caminho fácil' para saída da crise do coronavírus

Ministro da Saúde também afirmou que pandemia traz desafios 'profundos', sociais e econômicos, e que Brasil reconhece papel da OMS. Ele diz que Brasil está comprometido em trabalhar com outros países.

Ministro Nelson Teich. - Foto: Divulgação

O ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou neste domingo (19), durante uma videoconferência que reuniu ministros da Saúde de países do G20, que não há "caminho fácil" para que o mundo saia da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, e que os sistemas de saúde não serão mais os mesmos.

Teich assumiu o ministério na última sexta (17), no lugar de Luiz Henrique Mandetta, demitido pelo presidente Jair Bolsonaro em meio a embate público envolvendo as medidas de isolamento - defendidas por Mandetta e criticadas por Bolsonaro - para controle do vírus no Brasil.

“Não tem caminho fácil para sair da crise e acredito que os sistemas de saúde nunca mais serão os mesmos depois dessa experiência", afirmou Teich em sua fala durante a videoconferência.

O ministro da Saúde afirmou ainda que o Brasil reconhece o papel e a importância do trabalho da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta pandemia que, segundo ele, traz desafios "profundos" para todos os países.

“A urgência da covid19 está nos confrontando a todos, e isso é crítico. E parabenizamos essa reunião dos ministros da Saúde do G20, considerando os profundos desafios que essa pandemia traz para o bem-estar social e econômico da nossa população neste momento”, afirmou.

Nelson Teich ressaltou que a reunião foi sua primeira participação internacional como ministro, e ressaltou que o Brasil se compromete em cooperar com os outros participantes.

"Levando em conta que essa é minha primeira participação internacional como Ministro da Saúde do Brasil, eu quero aproveitar essa oportunidade para reforçar o compromisso brasileiro em trabalhar junto e achar soluções", ele finalizou.