DEM tenta compor chapa com PSD e indica vice-prefeito

O Partido de Mandetta não descarta lançar candidatura própria para disputar o Executivo de Campo Grande

Luiz Henrique Mandetta é o responsável pelo DEM na Capital - - Foto: Isac Nóbrega / PR

O Democratas (DEM) pretende indicar um nome para o Executivo em chapa com o atual presidente, Marcos Trad (PSD), em outubro deste ano. Conforme informações dos bastidores, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, da atual ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e vice-governador do Estado, Murilo Zauith, também tem acesso a espaço no poder municipal.

Murilo Zauith, de acordo com o presidente estadual da agremiação, como opções executivas municipais, ficou com a carga do primo da Trad, Luiz Henrique Mandetta. “Ele pediu Campo Grande. Ele conduz o processo em Campo Grande, como nós [Murilo Zauith e Tereza Cristina] somos do estado, não estamos tratando de Campo Grande. Eu não sei ”, afirmou.  

Disponível em uma situação de saída de Mandetta de carga, o vice-governador declarou que o ex-ministro ganhou mais destaque do que o presidente de combate à pandemia de novos coronavírus (Covid-19). “Uma briga de Mandetta com Bolsonaro foi quem Mandetta ficou maior. Bolsonaro errou o tempo, entrou mal, seguiu a cabeça do pessoal dele e errou na avaliação. Pensar que a situação de Bolsonaro é muito difícil de enfrentar ”.  

O secretário do partido em Campo Grande, Hélio Mandetta, afirmou que um acrônimo não é enviado para a chapa de reeleição de Marcos Trad, ou então lançou sua própria candidatura.  

“Há vários nomes, bons nomes, que podem formar uma legítima pleitear uma vice. Estamos analisando todo o cenário, com muita água para passar por essa ponte até agosto, mas estamos analisando. Quem sabe, até uma candidatura própria ou compor uma chapa, é vice-presidente ou indica um vice-presidente do nosso partido. Como estou falando, está muito cedo para definir ".

Questionado se uma candidatura própria não compromete a reeleição de Trad e ainda está sujeita a uma indisposição na família, já que Trad e Mandetta são primos, Hélio disse que “esse grau de parentesco não atrapalha. Tivemos um primeiro candidato ao governo em 2014 e autorizado na chapa do governador Reinaldo ”.

Os Estados Unidos na administração estadual, DEM e PSDB devem ser concorrentes no Executivo da Capital. Os tucanos devem cumprir o acordo entre Reinaldo Azambuja e Marcos Trad feito no pleito de 2018 - não é possível que o tradutor de apoio à reeleição de tucano e Azambuja se comprometa a fazer o mesmo na disputa deste ano.

Procurado, o presidente do ninho tucano no Mato Grosso do Sul e secretário de articulação política, Sérgio Paula, gravou que é natural outros partidos procurar seu espaço na disputa de outubro e também na chapa de Marcos Trad.  

O PSDB deve indicar o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, João Rocha, para compor o prefeito. Mas não descarte lançar candidatura própria, dependendo da decisão do candidato a reeleição.  

“Estou dizendo que vamos procurar um espaço com Marcos [Trad], temos musculatura. Ele pode aceitar ou não aceitar. Se ele não aceitar, vamos pegar o partido, sentar-se com o governador, um executivo, o diretório municipal, para discutir qual será a estratégia. Também vamos ponderar, temos três deputados federais, cinco deputados estaduais, oito vereadores. O partido tem peso, e o prefeito sabe disso. Tem tranquilidade, temos uso natural do governador no mandato, mas vamos procurar o diálogo na tranquilidade junto a Marcos e Lacerda ”, disse, citando o secretário do Governo de Comércio, Antônio Lacerda.

Sobre a possibilidade de DEM, também procure espaço na possibilidade de reeleição de Trad, ou tucano afirmou que é natural e tudo será feito com respeito. “Temos que respeitar, o Marcos vai avaliar o cenário, uma reeleição. O DEM tem bons quadros, temos dois deputados na Assembleia Legislativa, Barbosinha era o líder do governo. Eles vão buscar os espaços deles e nós vamos buscar os nossos. Isso vamos fazer com muita tranquilidade, vamos ouvir nossa liderança maior, que é o governador Reinaldo [Azambuja] ”.

ESPAÇO

De acordo com o presidente estadual do PSDB, Sérgio de Paula, primeiro, o partido deve buscar uma aliança para o pleito de outubro na gestão de Marcos Trad e, depois, no caso de reeleição ou segundo turno, devem ser discutidos os espaços na gestão . Primeiro, o PSDB quer participar da chapa majoritária; depois que as pessoas conversarem, estamos conversando, logicamente uma indicação de vice, vamos buscar outros espaços. O partido tem bons quadros para algumas massas dentro da cidade ”, disse Sérgio de Paula.