Clientes reclamam da demora em atendimento e ficam até 5 horas em fila sem informação no Banco do Brasil

Procedimento simples, como a retirada de um cartão, causa dor de cabeça para correntistas do banco.

Clientes reclamam da demora em atendimento e ficam até 5 horas em fila sem informação no Banco do Brasil - Foto: Marcos Tomé/Região News

Por causa da demora, clientes acabam voltando para casa sem terem seus problemas resolvidos. Por volta de 12h30min desta quinta-feira, 23 de abril, o RN conversou com várias pessoas que estavam na fila á espera de atendimento, é o caso, por exemplo, da aposentada, Marina Pereira da Silva, de 64 anos de idade.

Moradora do Assentamento São Pedro, ela reclama da demora no atendimento, além da falta de informação, já que a instituição financeira não distribuiu senhas. “Pra chegar até aqui, sai de casa nas primeiras horas do dia. Me desloquei mais de 45 quilômetros até a agência”, relatada.

Na prática, dona Marina Pereira nem poderia permanecer na fila, já que é idosa e pertence ao grupo de risco para Covid-19. Ela disse que resolveu ira até a agência para retirar o cartão bancário. “Eles poderiam colocar uma pessoa aqui só para entregar o cartão, isso agilizaria muito para nós”, falou Marina que chegou à agência por volta das 7h da manhã.

“Não consegui resolver o meu problema. Estão me cobrando o pagamento de uma fatura que já paguei, vim na agência para resolver, mas me passaram um contato para eu me informar que procedimento devo tomar”, disse a estudante Raiane Gomes, 24 anos, que chegou ao banco por volta das 9h.

Raiane disse que várias pessoas que estavam na fila desistiram do atendimento por terem que esperar na fila que se formou devido a grande procura sob sol quente. Este procedimento era para que não houvesse aglomeração. “Como não podíamos ficar aglomerados, vinha uma pessoa do banco falar para que a gente se afastasse, daí ficamos um bom tempo no sol. Durante todo este período não nos deram nenhuma informação ou senha”, reclamou.

Se para a assentada Marina Pereira, que teve de aguardar por mais de 5 horas para ser atendida, foi exaustivo, para Aquelina Grance, de 52 anos, que chegou à agência às 5 horas da manhã (ainda de madrugada), o drama foi ainda maior. Ela conta que passou mais de 7 horas na fila a espera pelo atendimento; só adentrou a agência às 12h30.

“Hoje já é o segundo dia de longa espera. Estive aqui ontem, das 8h da manhã e fui embora, às 14h, sem ser atendida. O banco fechou e me disseram que não iam atender mais ninguém.  Retornei hoje às 5 horas pra ver se conseguia atendimento para sacar os R$ 1.200,00 do auxílio emergencial, do qual tenho direito”, explica.

Banco do Brasil

A reportagem do jornal eletrônico regiaonews procurou a diretoria da agência para saber quais medidas foram tomadas para evitar aglomeração e as razões por tanta demora no atendimento. Segundo informações do gerente local, Eric Prado, alguns fatores são apontados como a causa da longa espera para atendimento.

A unidade do Banco do Brasil passa por reformas de ampliação e readequação, obra que deve ser concluída no mês de junho. Ele explica que a limitação do atendimento dentro do banco por causa do coronavírus e o pagamento do auxílio emergencial, que tem atraído um grande número de beneficiários, promovido pelo Governo Federal, congestionaram os serviços e atendimento ao público.

“Só os serviços essenciais com, por exemplo; saques de salário para pessoas que não têm cartão, desbloqueios de senhas, e retirada de cartão, estão sendo oferecidos aos clientes. No caso dos aposentados do INSS, foi destinado um horário de atendimento diferenciado que vai das 09h às 10h”, explica.

Eric revela que desconhece haver casos de longa espera, como o episódio relatado a reportagem por Aquelina Grance. “Esta informação não procede. Cheguei na agência às 8h da manhã e não avistei ninguém aguardando por atendimento. Não havia fila”, conclui o gerente.