Isolamento social está abaixo do recomendável em Sidrolândia

Apenas 39,9% dos moradores do município ficou em casa ontem.

O recomendável é que pelo menos 70% da população se isole para barrar a Covid-19. - Foto: Marco Tomé/Região News

A única medida segura conhecida para conter o avanço do coronavírus não vem sendo utilizada em Sidrolândia. Levantamento divulgado ontem pelo Governo do Estado aponta que apenas 39,9% dos moradores do município permaneceram em casa. O isolamento social no estado registrou apenas 40,2%. O recomendável é que pelo menos 70% da população se isole para barrar a Covid-19.

Com mais 23 exames positivos para coronavírus (Covid-19), o número de casos confirmados da doença no Estado chega a 311. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) monitora outros 32 casos suspeitos. Sidrolândia registrou o segundo caso da doença nesta quarta-feira. As informações estão no boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira, 7 de maio.

Dos 311 casos confirmados, 93 estão em isolamento domiciliar, 189 estão sem sintomas e já estão recuperados. Vinte e dois estão internados, sendo 14 em hospitais públicos e oito em hospitais privados. Dois pacientes internados são procedentes de fora do Estado e um é de fora do País. Foram registrados dez óbitos.

Ao mesmo tempo que o isolamento se mantém abaixo do ideal em todas as regiões, o vírus tem se espalhado e a interiorização dos casos ocorrido diariamente. No boletim epidemiológico atualizado pela SES nesta quinta-feira, Jardim passou a integrar o mapa da Covid-19, e o Estado conta agora com 25 cidades com a presença confirmada do novo coronavírus.

Além de Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Sonora, Nova Andradina, Chapadão do Sul, Brasilândia, Batayporã, Corumbá, Guia Lopes da Laguna, Ladário, Coxim, Bataguassu, Mundo Novo, Paranaíba, Ponta Porã, Sidrolândia, Jardim, Alcinópolis, Jateí, Miranda, Naviraí, Paraíso das Águas, Rio Verde de Mato Grosso e Selvíria, integram o mapa atualizado desta quinta-feira.

Na contramão de todas as recomendações, os novos casos identificados nos pequenos municípios, são resultado de aglomerações, festinhas e encontros familiares, conforme levantamento da SES. O baixo isolamento pode ter um alto “preço”, e é preciso conscientização, para que nenhum familiar ou amigo passe a integrar as estatísticas dessa doença tão imprevisível. O novo coronavírus já mostrou a que veio e só no Brasil já fez mais de 8,5 mil vítimas, conforme atualização de ontem do Ministério da Saúde.

Apesar do bom desempenho de Mato Grosso do Sul no cenário nacional no enfrentamento a pandemia, a SES demonstrou preocupação com o baixo isolamento que pode elevar o Estado ao mesmo padrão de gravidade da doença em outros estados do País. “O inimigo é ardiloso, nós precisamos estar vigilantes. O ambiente de uma UTI é muito hostil”, alertou o secretário Geraldo Resende.