Menina de 12 anos é alcoolizada e estuprada e quatro pessoas são suspeitas de envolvimento

Quando a polícia chegou na casa da vítima, ela estava "com muito medo" e com sangue na virilha. Caso foi em Dourados.

Bebida encontrada na casa de um dos presos — - Foto: Osvaldo Duarte

A Polícia Civil investiga um estupro coletivo a uma menina de 12 anos, ocorrido em Dourados. Um idoso de 72 anos, um rapaz de 26 e um homem de 43 estão presos. Um adolescente de 16 anos foi apreendido.

Foi uma tia da menina quem contou à polícia sobre o estupro. Quando os policiais chegaram na casa, encontraram a criança deitada na cama, "com muito medo" e "sangue na região da virilha".

A criança disse aos policiais que havia ingerido bebida alcoólica na casa do idoso e depois levada para o casa do jovem e lá estuprada. Falou ainda que acredita ter sido estuprada pelos seis homens que lá estavam, porém tem certeza apenas do dono da residência.

A garota contou também que um dos suspeitos chegou a mandar mensagens para uma tia dela, a qual possui a guarda, dizendo que queria abusar sexualmente dela.

A irmã da menina, uma criança de 10 anos, também estava com os suspeitos. Ela falou que deram bebida a ela, porém, ela fingiu beber e viu quando o rapaz disse que queria 'ficar" com a irmã e em seguida fechou uma porta.

Os policiais encontraram quatro dos seis suspeitos na rua, perto da casa das vítimas. Eles ficaram nervosos com os questionamentos e não confessaram. Na casa do idoso foram encontradas garrfas vazias e cheias de bebida alcoólica.

A menina estuprada foi levada pelo Samu para o Hospital Universitário, onde passou por exames e ficou em observação.

As garrafas de bebida foram apreendidas e o celular da tia onde teria mensagens de um dos suspeitos presos, foi recolhido. Esta tia não é a mesma que denunciou o caso à polícia.

A dona do celular contou aos policiais que tem a guarda das duas crianças, estava trabalhando quando o estupro aconteceu e a filha, maior de idade, que havia ficado cuidando das meninas, disse a ela que as primas tinham saído de casa escondido.