Prefeito desiste de barreira sanitária na rodovia após se reunir com comandantes das forças de segurança

Devido ao alto fluxo de veículos que transitam diariamente nas rodovias que cortam a cidade de Sidrolândia, barreira sanitária envolveria um complexo esquema de segurança.

Prefeito Marcelo Ascoli durante reunião - Foto: Rafael Brites

O prefeito Marcelo Ascoli não vai levar adiante a proposta de montar barreiras sanitárias para abordar e aferir a temperatura corporal de quem chegar a Sidrolândia pelas rodovias BR-060 e MS-162. Quem estivesse com febre seria submetido a exame para Covid-19.

O prefeito desistiu da ideia diante dos argumentos dos representantes da força de segurança; Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal, com os quais se reuniu. Eles resistiram a ideia diante da dificuldade de implementá-la por causa dos desdobramentos.

As autoridades destacaram a falta de efetivo, tanto da PRF, quanto da PM para dar suporte uma operação desta magnitude. Haveria transtornos, seria inevitável a formação de filas quilométricas que se formariam na BR-060, por onde circulam diariamente 5 mil veículos, enquantoaspessoas fossem abordadas.

Outro problema, apontado pelas forças policiais, é o fato das rodovias que atravessam o município serem corredores do tráfico de drogas e contrabando. Em caso barreiras sanitárias, traficantes e contrabandistas poderiam reagir de forma violenta ao terem a passagem obstruída pelas barreiras.