Diego Costa será julgado em 4 de junho na Espanha por fraude fiscal

Promotores pedem seis meses de prisão para o jogador e pagamento de multa de mais de R$ 3 milhões

Naturalizado espanhol, Diego Costa é acusado de não declarar pagamentos referentes à sua transferência para o Chelsea - (Foto: Susana Vera/Reuters)

Atacante do Atlético de Madri, Diego Costa será julgado em 4 de junho por fraude fiscal em 2014, de acordo com processo divulgado nesta sexta-feira, 29, no qual os promotores pedem seis meses de prisão e multa de 507.208 euros (mais de R$ 3 milhões) ao jogador brasileiro naturalizado espanhol.

Segundo o documento, Diego Costa fraudou o Estado espanhol em 1.014.416 euros ao não declarar pagamentos de 5.150.622 euros de sua transferência de 2014 do Atlético para o Chelsea na declaração de impostos, além de mais de 1 milhão de euros em direitos de imagem.

O documento acrescentou que a sentença de prisão pode ser trocada por multa adicional de 36.500 euros, de acordo com a lei espanhola, que permite que penas inferiores a dois anos por crimes não violentos sejam trocadas por uma punição financeira.

Diego Costa, de 31 anos, que retornou ao Atlético do Chelsea em 2017, não foi encontrado imediatamente para comentar.

Os promotores espanhóis venceram uma série de casos contra jogadores e treinadores de alto nível por fraude fiscal nos últimos anos, incluindo Lionel Messi, Cristiano Ronaldo e José Mourinho.