Câmara obstrui projeto que livraria 1.386 servidores de pagar consignados por 3 meses

O benefício vem sendo concedido por várias prefeituras, além do governo do Estado.

Presidente da Câmara, Carlos Henrique durante sessão. - Foto: Marco Tomé/Região News

Enquanto projeto semelhante da Mesa Diretora, que beneficia servidores efetivos do Legislativo, foi aprovado numa velocidade relâmpago, há praticamente um mês o presidente da Câmara, Carlos Henrique, obstrui a votação do projeto que beneficiaria 1.386 servidores municipais com a suspensão por 3 meses do desconto em folha de parcelas de empréstimos consignados que contrataram.

O projeto foi protocolado na Câmara no dia 7 de maio, representaria um fôlego financeiro (que pode representar um incremento de 30% nos seus orçamentos), para servidores com vencimento médio de R$ 2 mil que não terão reajuste salarial até dezembro de 2021.

O benefício vem sendo concedido por várias prefeituras, além do governo do Estado. Todo mês, as parcelas dos consignados retiram aproximadamente R$ 387 mil do salário dos 1.386 funcionários que fizeram consignados em diferentes bancos. São empréstimos contratados junto ao Bradesco (571), Caixa Econômica Federal (720) Banco do Brasil (89) e Santander (6).