Trabalhadores de SP, Dourados e até haitianos desembarcam no Quebra Coco; Saúde vai monitorar grupo

já foram registrados dois casos de Covid-19, um deles com morte

Secretário de Saúde em visita ao Quebra Coco. - Foto: Rafael Brites

Como até agora, não conseguiu viabilizar a proposta de montar barreiras sanitárias, só na tarde deste domingo a Secretaria Municipal de Saúde conseguiu identificar e manter contato com um grupo de 40 trabalhadores (dentre eles há três haitianos) que veio de outros municípios, como Dourados, hoje o epicentro da doença em Mato Grosso do Sul e do Estado é de São Paulo, para construir galpões de aviários em Quebra Coco.

No distrito que está em quarentena, já foram registrados dois casos de Covid-19, um deles com morte, é o caso de dona Cícera Aparecida, que morreu no último dia 7, vítima da doença. A primeira leva de trabalhadores aportou na localidade há 15 dias (sem nenhum sintoma da doença) e na sexta-feira chegou o contingente remanescente.

O secretário de Saúde, Jesiel Ratier, esteve em Quebra Coco, manteve contato com trabalhadores e nesta segunda-feira uma equipe voltará ao distrito para fazer uma triagem de todos eles. Aqueles que estiveram com qualquer sintoma (principalmente febre) serão testados e permanecerão em isolamento domiciliar.
   
Em princípio, todos estão bem de saúde, usando máscaras e poderão exercer atividades normalmente. O secretário, com apoio da Polícia Militar, aproveitou a ida ao Quebra Coco para orientar a população sobre a importância de manter o distanciamento social, ficar o máximo possível em casa.

Constatou-se que alguns bares estão funcionando, gerando aglomeração, contrariando o decreto da quarentena. Os estabelecimentos só podem funciona em sistema delivery, ou seja, com entrega em domicílio. O secretário de Governo, Clayton Ortega, que coordena uma equipe de fiscalização, também esteve presente, além da diretora municipal de saúde, Tatiane Nantes.