Em Sidrolândia, o número de pessoas curadas da Covid-19 atinge 62%

São, ao todo, 51 pessoas que receberam o diagnóstico positivo no município, deste total, 5 pessoas estão internadas e uma na UTI.

Sidrolândia tem 32 pacientes curados do novo coronavírus. - Foto: Divulgação

Sidrolândia tem 32 pacientes curados do novo coronavírus. O número, divulgado nesta terça-feira (07) pela Secretaria Municipal de Saúde, representa 62% do total de pacientes que contraíram a Covid-19. São, ao todo, 51 pessoas que receberam o diagnóstico positivo no município, deste total, 5 pessoas estão internadas e uma na UTI. Uma pessoa morreu em razão da doença.

Os sete novos casos confirmados em Sidrolândia nesta segunda-feira (06) são um homem e uma mulher de 34 e 19 anos, respectivamente e, um bebê de 1 ano e 9 meses. Eles testaram positivo para anticorpos do vírus e já estão curados. Os outros quatro pacientes, são dois homens de 44 e 36 anos e uma mulher de 34 anos. Eles apresentam sintomas leves e seguem em isolamento domiciliar. Além de um idoso de 74 anos, com Síndrome Respiratória Aguda Grave, que está internado na UTI do Hospital Elmiria Silvério Barbosa.

No Estado, 7.081 estão sem sintomas e já estão recuperados. Conforme o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, são 10.687 casos confirmados, 3.255 estão em isolamento domiciliar, 235 estão internados, sendo 126 em hospitais públicos e 109 em hospitais privados. Doze pacientes internados são procedentes de fora do Estado.

Vacina

A chinesa SinoVac está iniciando os testes da fase 3 de sua potencial vacina contra o novo coronavírus, informou a farmacêutica nesta segunda-feira (6), tornando-se uma das três empresas a avançar aos estágios finais da corrida para desenvolver uma imunização contra a doença. Voluntários começarão a ser recrutados neste mês.

A vacina será testada no Brasil, em um estudo com 9 mil voluntários liderado pelo Instituto Butantã, vinculado ao governo do estado de São Paulo. Na sexta-feira (3), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a realização dos testes, que serão feitos em 12 centros de pesquisa localizados, além de São Paulo, em mais quatro estados e no Distrito Federal. 

A vacina experimental para covid-19 da AstraZeneca, desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Oxford e que já está sendo testada no Brasil, em estudo liderado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e a da Sinopharm são as outras candidatas em fase 3, o estágio final.

A SinoVac está construindo uma fábrica de vacinas, que deverá ficar pronta neste ano e ser capaz de produzir até 100 milhões de doses anualmente. Os ensaios de fase 1 e fase 2 normalmente testam a segurança de um medicamento antes de entrar nos de fase 3, que testam sua eficácia.