Acusado de matar a ex e o namorado dela em MS vai passar por exame de insanidade mental

Justiça quer saber se ele tinha entendimento de que estava cometendo um crime e se tem condições de conviver em sociedade.

Local em que suspeito por duplo homicídio foi preso, em área rural de Pedro Gomes (MS). — - Foto: Polícia Civil/Divulgação

O homem de 32 anos acusado de matar a facadas a ex companheira e o atual namorado dela, no dia 28 de maio, em Costa Rica, a 267 quilômetros de Campo Grande, vai passar por exame de insanidade mental. Ele está preso.

O exame foi autorizado pela Justiça a pedido da defesa do acusado. Conforme a decisão publicada no Diário da Justiça desta quinta-feira (30), o objetivo é saber se o réu tinha entendimento de que estava cometendo um crime ao esfaquear as vítimas e se ele tem condições de conviver em sociedade.

Consta no processo que, laudo médico emitido dia 18 de março de 2020, dois meses antes do crime, apontava que o acusado havia sido diagnosticado com transtorno depressivo grave com sintomas psicótico.

Para a Justiça, "o exame de insanidade mental é de fundamental importância para o reconhecimento da doença mental à época do suposto crime e no momento atual".

Crime

O casal foi morto a facadas no quarto da mulher. Ela foi atingida com várias facadas no rosto, que ficou totalmente dilacerado. Já o homem recebeu golpes nas costas e no pescoço.

Dentro do quarto ainda estava uma criança de 3 anos de idade, que não foi ferida. Ela foi encontrada com o corpo cheio de sangue por uma tia. A polícia suspeita que a menina tenha abraçado o corpo da mãe, após o crime.

O acusado foi preso no dia seguinte, na área rural de Pedro Gomes, na região norte de Mato Grosso do Sul, por policiais civis e militares.