PM anuncia patrulha rural e produtores vão ajudar no custeio de combustíveis de viaturas

A medida foi um dos resultados da reunião realizada nesta quinta-feira (22) na Câmara Municipal que contou com a participação do diretor-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas e do comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Sérgio Monari.

Coronel Sérgio Monari, comandante do Policiamento Metropolitano, durante entrevista ao regiaonews - Foto: Vanderi Tomé/Região News

A Polícia Militar vai promover o patrulhamento na zona rural de Sidrolândia, como parte da estratégia para inibir a ação de criminosos que só neste mês entraram em três propriedades, levando equipamentos agrícolas e adubo, provocando prejuízo superior a R$ 1 milhão aos produtores.

A medida foi um dos resultados da reunião realizada nesta quinta-feira (22) na Câmara Municipal que contou com a participação do diretor-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas e do comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Sérgio Monari.

O presidente do Sindicato Rural, Rogério Menezes, em nome dos produtores, assumiu o compromisso de dar o respaldo necessário para a Polícia Militar promover ações pontuais (com preservação do sigilo para não perder o efeito surpresa) para inibir a ação dos ladrões e levantar dados que levam a prisão dos marginais. “Quem tem propriedade às margens das rodovias teve de redobrar os cuidados e adotar algumas medidas de segurança para dificultar a ação dos bandidos que circulam por aqui porque a região é rota do tráfico de drogas”, comenta Rogério.

Além da ação policial, o Sindicato vai recomendar que os produtores adotem algumas medidas simples. “Não deixar tratores ou colheitadeiras nas lavouras, sempre ao final do trabalho, levando para os galpões. Se não houver outra alternativa, contratar uma empresa de segurança”, avalia.

Para a área urbana o comandante do Policiamento Metropolitano disse que na medida do possível vai enviar reforços e a pedido do comandante local da PM, major Souza Lima, equipes do Batalhão de Choque vão se deslocar de Campo Grande para ações pontuais de ronda e ajudar na captura de suspeitos.

Esta estratégia já foi colocada em prática nas investigações e diligências que resultaram na prisão dos envolvidos e localização da arma usada no latrocínio que resultou na morte do empresário Paulo Cézar Buchanelli.